A beleza da flor que nos encanta à raiz (enterrada) deve a vida

A beleza da flor que nos encanta à raiz (enterrada) deve a vida
Cada neto ou neta rememora
Vez  por outra, revive em sua mente
Seus avôs e avós sempre presentes
Um tesouro a nunca jogar fora
E suas vidas marcando, a cada hora
Quanto bem daí brota, em suas lidas
E lembranças recolhem,tão queridas
Sua postura exemplar nos acalanta
A beleza da flor que nos encanta
À raiz – enterrada – deve a vida

 

Às vovós e vovôs e com ternura
De seus netos inteira gratidão
Seus exemplos fecundos assim vão
Reforçando um legado que perdura
Gratos, pois, nesta vida e na futura
Quão fecunda da avó é sua lida
Pelo avô com carinho bem servida
Na cozinha, à vovó ninguém suplanta
Também não no cuidado de suas plantas
A beleza da flor que nos encanta
À raiz – enterrada – deve a vida

 

A Francisca e José; João e Maria
Estes versos dedico, em gratidão
Seu exemplo de vida não foi vão
Só depois, é que a gente avalia
Quanto bem nos fizeram – que alegria!
Seus exemplos inspiram nossa lida
E a tornam fecunda, bem curtida
Tal lembrança dá frutos, outros planta
Nos protejam com sua doce manta
A beleza da flor que nos encanta
À raiz – enterrada – deve a vida

Deixe uma resposta