Violência sexual no México: Indígenas exigem cumprimento de sentença contra o país

Violência sexual no México: Indígenas exigem cumprimento de sentença contra o paísDuas indígenas mexicanas tentam há décadas justiça contra seus agressores. Inés Fernández Ortega e Valentina Rosendo Cantú foram estupradas em 2002, em ataques diferentes, por soldados mexicanos. A violência sexual, entendeu uma corte internacional, foi praticada por agentes do Estado mexicano, em serviço. A impunidade persiste até hoje.
“É muito difícil denunciar, mas se ficamos caladas é ainda mais doloroso do que continuar lutando. Se seguimos lutando, temos a esperança de que algum dia os militares que nos estupraram serão punidos. Sei que há esperança, uma luz no fim do túnel”, afirma uma delas à Anistia Internacional, que faz campanha por justiça, no vídeo abaixo.

Em agosto de 2010, as indígenas ganharam dois processos contra o Estado do México na Corte Interamericana de Direitos Humanos, órgão que interpreta e aplica a Convenção Americana de Direitos Humanos e outros tratados. Foi ordenado que o país fizesse uma investigação completa sobre o caso, bem como reparações e reformas no sistema judiciário militar.
A Anistia Internacional e entidades do México pedem a aplicação da sentença.
Acompanhe o caso aqui e aqui. Outros casos aqui.

Um comentário sobre “Violência sexual no México: Indígenas exigem cumprimento de sentença contra o país”

Deixe uma resposta