URGENTE: PMs de vários batalhões atacam na Providência

Favela está às escuras, moradores e crianças não puderam subir para suas casas

Acabamos de receber um telefonema avisando que a repressão policial, neste momento, no morro da Providência, é bem forte.

Três jovens mulheres da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência que foram para lá, hoje, conversar com os moradores sobre a ação policial no dia de ontem, estão pedindo a presença da imprensa para proteger os moradores de possíveis violações aos direitos humanos.

De acordo com o relato recebido, por volta das 19h, um grupo de policiais militares do 2º Batalhão chegou, no caveirão e em outros carros, e atirou na direção das jovens.

Segue abaixo o comunicado.

Renajorp – Rede Nacional de Jornalistas Populares

URGENTE: PMs de vários batalhões atacam na Providência. Favela está às escuras, moradores e crianças não puderam subir para suas casas

Recebemos há pouco informações de vários moradores da Providência que policiais militares, desde as 15h [desta sexta, 07/11], estão atirando a esmo e aterrorizando toda a favela. Embora ali seja área de atuação apenas do 5o BPM, viaturas de outros batalhões distantes (3o, 6o e 16o BPM) também foram vistas na comunidade. Os policiais alvejaram transformadores e a favela está às escuras, o que aumenta o pavor dos moradores.

Muitos moradores e inclusive crianças que saíram das escolas não puderam subir o morro devido à ação da PM e os tiros. Todo mundo está trancado em suas casas e com muito medo do que pode acontecer. Não se sabe se alguém já foi ferido.

Essas incursões de policiais de outros batalhões na favela já acontecem há mais de três meses, queixas e denúncias foram feitas ao comando da PM, à 4a DP e à Secretaria de Segurança, mas nada foi feito. A imprensa também tem se limitado a reproduzir a versão distorcida da PM. A ação desses policiais de outros batalhões, conhecidos como violentos, acontece de preferência em dias onde habitualmente haveria grande movimentação dos moradores nas ruas, bares e quadras da comunidade, como hoje (sexta-feira), demonstrando uma intenção de amedrontar a comunidade e impedi-la de aproveitar as horas de lazer.

Pedimos que todos estejam atentos para novas denúncias, repassem a informação para a imprensa e órgãos de defesa dos direitos humanos.

Comissão de Comunicação da Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência

Deixe uma resposta