Moradores do Jacarezinho se revoltam contra UPP após morte de um jovem

Aliélson morreu com um tiro na cabeça | Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Dia

Publicado pelo jornal A Nova Democracia

Na noite da ultima quinta-feira, dia 4 de abril, a equipe de reportagem da AND, juntamente com a Agência de Noticias das Favelas, foi ao Jacaré, na zona norte do Rio, apurar a denúncia de que um jovem teria sido assassinado por policiais da Unidade de Policia Pacificadora. Segundo testemunhas, Alielson Nogueira, de 21 anos, estaria comendo um cachorro quente, no momento em que foi baleado na nuca. Moradores disseram que, no local, acontecia um protesto contra a prisão arbitraria de um trabalhador. Durante a manifestação, um policial identificado por moradores como “Andre”, teria atirado contra a massa e acertando Alielson.

Quando chegou à favela do Jacaré, nossa equipe se deparou com um cenário de rebelião popular. Centenas de moradores tomaram as ruas da favela e, corajosamente, enfrentaram as tropas de repressão do Estado reacionário. O objetivo dos manifestantes era proteger o corpo do Alielson, para que PMs não modificassem a cena do crime. O confronto só teve fim no momento em que policiais civis chegaram para periciar o local do assassinato. Durante a madrugada, o monopólio dos meios de comunicação noticiava que o jovem trabalhador teria sido baleado em um suposto confronto entre traficantes e policiais, versão negada pela população. Em entrevista ao jornal O Dia, um amigo do rapaz, o pedreiro Wellington Freire da Silva, de 33 anos, acusou os PMs de despreparo. “Os policiais da UPP são novos e despreparados. Eles chegaram nos becos atirando. Na confusão, eles jogaram até spray de pimenta na gente”, relatou.

Confira o vídeo feito pela equipe do AND.  

Deixe uma resposta