Ser mãe é

Ser mãe é…

quer dizer, 

eu  em minha humilde ciência

tentarei explicar 

Algo que se fez ciência

e sempre fará

com a arte do gestar

 

Ser mãe até que parece

tarefa fácil, com jeito fácil

e forma fácil de fazer 

Mas se torna difícil a partir de

uma experiência única

Carregar uma sementinha

que ao final  virou um pé

Pé de gente claro

porém, jamais deixará

de ser sementinha 

Para aquela mãe

que com tanto carinho

decidiu cuidar 

do fruto  do seu ventre

 

Jamais desconsidere uma mãe

Não a  deixe sem um lar

um lugar para ficar

Que triste foi o maior nascimento

onde a Mãe do salvador 

teve que andar de lugar em lugar

atrás de uma estância

Lhe restou apenas o estábulo dos animais

Mas não teve problema não 

afinal mãe é mãe

Ela dá  o que tem 

e  oferta o  que dá

 

Deixemos as mães serem mães

é um dom, apenas dom

que elas vão  aprendendo 

ao tempo que vão  vivendo 

o fruto do seu  gestar

 

Há mães que sofrem sim 

Verdade seja dia e acontece

Meses de gestação 

anos de cuidado 

E aquele menino, aloprado 

foi  se meter com o crime

Achou que mãe era a rua

Totalmente equivocado

Ficou preso, foi condenado 

mas, mãe é mãe

Foi la no  presidio

Vê-lo chorar 

E chorar a suas agruras

Não fique aqui mãe, disse o homem

Você não merece

Merecer o que? 

Se o que se quer é dar amor!

Amor de mãe 

mãe é mãe! 

 

Também  é mãe daquele

Que orgulho também tem

Daquele que acabou  de se formar

e a ela decidiu seu titulo dedicar

E escreveu:

“a minha mãe, com todo meu respeito

que de sol a sol me fez doutor”

Uma lagrima nela caiu

fruto da roupas molhadas 

que levaram chuva de ano a ano

E ele está aí

Cuidado, criado

E até doutor foi  formado

 

A minha mãe, minha senhora

Munha eterna gratidão!

A sua?.. Eu não  sei! 

Mas o que sei 

é que pra sempre

Ela se intitulará

Sua mãe!

Sua eterna mãe!

Para sempre será sua mãe!

 

Dedicado as grandes mães

As minhas referencias

Dona Sandra Regina,

Regina Francisca

e  Ariane Cristina

Que em um sopro de vida,

se tornará mãe, muito em breve. Do nosso fruto.

 

Júlio César Marques de Aquino – Julio Casé  

 

 

Deixe uma resposta