Revista Samuel nº 2 nas bancas: o fracasso da guerra às drogas

O número dois da Samuel, que está nas bancas, traz como reportagem de capa um dossiê sobre o enorme fracasso de nossa época: o combate às drogas.
O consumo de substâncias químicas que alteram a percepção dos sentidos está cada vez mais integrado às sociedades modernas. Não apenas tem se intensificado o uso de produtos legalizados (por exemplo, o álcool) como se expandiu o uso de drogas clandestinas.
A guerra às drogas, idealizada há 40 anos como forma de controlar esse consumo, no entanto, apresenta resultados frustrantes, como revelam as reportantes deste número da Samuel.
http: //youtu.be/kGPS5RcBrgA
Reunindo textos de oito diferentes publicações independentes, o dossiê mostra que a militarização do problema não reduziu o número de dependentes. Pior: alimentou o tráfico de armas e a violência, da cidade sitiada de Monterrey (México) à Cracolândia paulistana.
Na contramão da guerra, Portugal surge como exemplo de país que descriminalizou e, simultaneamente, fez baixar o consumo de drogas.
Samuel traz ainda reportagens de política, cultura, meio ambiente e ciência. Entre elas, um perfil de Stieg Larsson, autor da trilogia Millenium, que foi um dos mais destacados jornalistas e militantes políticos da Suécia.
Além disto, Samuel traz uma reportagem histórica, na seção “Vale a Pena ler de Novo”: em 1979, o jornalista Raimundo Pereira, do jorn al Movimento, foi ao ABC paulista conhecer os companheiros de Lula nas greves que desafiavam a ditadura.
O que é Samuel
A revista Samuel é resultado de uma nova experiência jornalística. Reúne textos de diferentes publicações independentes, que se destacam pela apuração bem feita e pelo texto bem escrito: jornais, revistas, sites e blogs que mostram uma visão diferente do Brasil e do mundo. A gente lê o mundo.
(*) Divulgação da revista Samuel.

Deixe uma resposta