Quem é você?

Você é quem você é, ou quem os outros esperam que você seja? Você é quem você é, ou quem os outros esperam que você seja? Você é quem você é, ou quem os outros esperam que você seja? A pergunta se repete três vezes(1), como para que a pessoa possa ter condições de a escutar. Você é quem você é?

Eu já tenho dito alguma vez, que o mais importante não é a resposta que se possa dar a esta pergunta: quem sou eu, é uma pergunta irrespondível. Eu não sei quem sou, nem é isto o que importa. O que importa é que eu seja capaz de ficar diante dessa indeterminação, diante desse infinito de possibilidades, diante dessa vastidão que sou eu.

Não importa o que eu pense que eu sou. Eu não sou isso, com certeza. O que eu penso que eu sou, é algo que aprendi a acreditar sobre mim mesmo, e pode não ter nada a ver com o que verdadeiramente sou. Se eu puder ficar diante desse espaço que se abre em mim mesmo ao eu escutar a pergunta “Quem é você? Você é quem você é, ou o que os outros esperam que você seja?”, eu posso ter uma experiência da minha infinitude.

Eu poderei estar em contato com uma paz muito profunda. Muitas vezes entro em conflito comigo mesmo porque creio que devo amar a todas as pessoas, devo ser bonzinho, disser sim senhor, ou sim senhora o tempo todo. Isto não é ser eu. Isto é ser o que os demais querem que eu seja. Mas se eu parar um pouco e me voltar para mim mesmo, estarei nessa paz profunda e quietude.

Nesse centro interior desde o qual posso estar integrado numa vida mutante, em que melhor posicionado está quem for capaz de fluir com menos rigidezes. E o espaço que se abre ao eu me deparar com o meu não saber fundamental, o meu não saber quem eu sou, me instala na eternidade, na continuidade da existência. É o começo da comunhão, uma comunhão que conheci desde pequeno e da qual tive que ir me afastando para ser aceito, para agradar e começar a me desagradar, começar a não ser. Mas eu posso voltar, e vou voltando.

(1) nas vivências da terapia Comunitária e Cuidando do Cuidador, criados por Adalberto Barreto.

Deixe uma resposta