Plenamente

Tenho constatado tanto em mim mesmo como em pessoas próximas, um retorno ao espaço próprio e pessoal, o lugar mais íntimo. Um certo descolamento e distanciamento de uma exteriorização excessiva, uma projeção também excessiva. Presença, afinal, é tudo que temos.
O lugar de cada um/a.
Tempo para mim.
Os desejos do meu coração.
Recuperação da fala.
As pequenas coisas.
Uma flor, um pássaro, um livro.
Respiração. Caminhada. Solidariedade.
A vida mais pra cá, mais em nós mesmos/as.
Uma espiritualidade mais praticada do que proclamada. Silenciosamente. Simplesmente.
Desfrutar da beleza e do afeto que nos integram ao todo.
Criar.
 
 

Deixe uma resposta