Petrópolis reúne poder público e sociedade civil em Pré-Conferência LGBT

Eleição de delegad@s para a Conferência Estadual do RJ e produção de propostas foram realizadas hoje (9) na sede da Faculdade de Medicina do município
Casa de apoio e abrigo para a população LGBT marginalizada; não obrigatoriedade do corte de cabelo para travestis e transexuais dos sistemas prisionais; Centro de Referência da Cidadania LGBT em Petrópolis, reservas de cotas LGBT no mercado de trabalho; treinamentos e capacitações para as Polícias Civil e Militar foram algumas das propostas dos participantes  da Pré-Conferência Regional 4, com sede em Petrópolis que aconteceu hoje (9). A reunião também contou com a eleição de 10 (dez) delegad@s – 6 (seis) da sociedade civil e 4 (quatro) do poder público – que irão representar a região na II Conferência Estadual LGBT que acontece em novembro.

Participaram do evento o presidente da II Conferência estadual LGBT, Cláudio Nascimento; a coordenadora do Programa Municipal de DST/Aids e Hepatites B e C de Petrópolis, Maria Inês Ferreira; a presidente do Conselho Municipal de Saúde, Maria Auxiliadora Pires; a coordenadora do NUDIVERSIS e defensora pública, Dr.ª Luciana Mota; a representante da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, Adriana Martins; a coordenadora da Associação de Travestis e Transexuais do RJ, Bárbara Aires; o capitão da PM, Joel Rezende; e os representantes do Grupo Nobreza, Ernani Rocha e Lúcio Guimarães.

“Tenho muito orgulho de ver uma mesa tão plural em prol dos direitos da população LGBT. O Rio de Janeiro tem sido referência para todo país na luta e conquistas pela cidadania. As Pré-Conferências têm demonstrado o quanto os LGBT estão em pauta nas agendas de vários setores de atuação do poder público. Tenho certeza que com a ajuda de cada um, em suas áreas específicas, podemos fazer um Rio de Janeiro mais fraterno, digno e que respeite as diferenças”, afirmou Cláudio Nascimento, que também é coordenador do Programa Estadual Rio sem Homofobia.

Abertura

Jane Di Castro, como é de praxe, entoou o Hino Nacional que emocionou a tod@s que estavam presentes. Logo em seguida, deram o início aos discursos, sempre assertivos e convictos de que o estado do Rio de Janeiro vive uma mudança de paradigmas e que a construção de uma sociedade mais plural e respeitosa já se percebe. Destaque para o capitão da Polícia Militar, Joel Rezende que, além de fazer questão de participar do evento, registrou o empenho da corporação no combate à homofobia e promoção dos direitos humanos de LGBT.

“A PM tem acompanhado a evolução das conquistas do Movimento LGBT, bem como a construção e implementação de políticas públicas em prol desta comunidade. Toda mudança e quebra de paradigmas pressupõe resistência, mas é necessário transpô-la. Tenham certeza que não estamos medindo esforços para que nossos homens cumpram as ordens do alto escalão da Polícia Militar, que, por sua vez, está em consonância com a política de Estado de respeito aos LGBT”, afirmou o capitão Rezende.

Também marcaram presença os representantes da Secretaria de Estado da Casa Civil, Dino Junior e da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, Cláudia Turco. Aos presentes foram apresentados os dados estatísticos oficiais de atendimento do Centro de Referência Metropolitano LGBT e do Disque Cidadania LGBT (0800 023 4567), que desde de maio deste ano – época de lançamento da campanha publicitária Rio sem Homofobia – teve um acréscimo de 318%.

Deixe uma resposta