Pensamentos e mentiras

Humberto Werneck comenta: “Cacá Diegues lhe encomendou uma canção para Jeanne Moreau, que faz uma dona de bordel. Quando Jeanne chegou de Paris, Chico foi lhe mostrar a música – morrendo de vergonha, conta, e se lembrando o tempo todo dela em Les amants, de Louis Malle, filme que assombrou os adolescentes de sua geração. A atriz adorou essa canção onde fundem palavras em português e francês e gravou-a no seu LP.” (in Chico Buarque Letra e Música, Companhia da Letras, 1989)

Abaixo trecho de um documentário que eu não identifiquei (quem souber manda!), com a letra completa tirada do site do Chico (aqui). Mais abaixo, a minha primeira postagem, com destaque para a versão simpática da Nara Leão e trecho destacado.

Tu ris, tu mens trop
Tu pleures, tu meurs trop
Tu as le tropique
Dans le sang et sur la peau
Geme de loucura e de torpor
Já é madrugada
Acorda, acorda, acorda, acorda, acorda

Mata-me de rir
Fala-me de amor
Songes et mensonges
Sei de longe e sei de cor
Geme de prazer e de pavor
Já é madrugada
Acorda, acorda, acorda, acorda, acorda

Vem molhar meu colo
Vou te consolar
Vem, mulato mole
Dançar dans mes bras
Vem, moleque me dizer
Onde é que está
Ton soleil, ta braise

Quem me enfeitiçou
O mar, marée, bateau
Tu as le parfum
De la cachaça e de suor
Geme de preguiça e de calor
Já é madrugada
Acorda, acorda, acorda, acorda, acorda

* * *

Mata-me de rir / Fala-me de amor / Songes et mensonges / Sei de longe e sei de cor / Geme de prazer e de pavor / Já é madrugada (…)

Joana francesa, Chico Buarque, (1973), para o filme Joana Francesa, de Cacá Diegues.

[Publicado neste blog primeiro em 18-05-2008 e depois em 14-10-2008]

2 comentários sobre “Pensamentos e mentiras”

Deixe uma resposta