Papa Francisco: Jesus nos orienta para vivermos a vida plena, a felicidade

fotoCaros irmãos e irmãs!

O Evangelho de hoje, extraído do capítulo 10 de Marcos, apresenta-se articulado em três cenas, atravessadas por três olhares de Jesus. A primeira cena conta o encontro entre o Mestre e alguém – que segundo a passagem paralela de Mateus – vem como alguém identificado como “jovem”. O encontro de Jesus com o jovem. Este corre em direção a Jesus, ajoelha-se e O chama de “Bom Mestre”.E Lhe pergunta: “O que devo fazer para ter como herança a vida eterna?”, isto é, a felicidade. “Vida eterna não é apenas a vida do além, mas é a vida plena, vivida sem limites. O que devemos fazer para alcança-la? A resposta de Jesus resume os mandamentos que se referem ao amor ao próximo. Ao olhar aquele jovem, nada há nele a ser reprovado, mas é claro que, para Jesus, a observância dos preceitos não basta, não satisfaz Seu desejo de plenitude. E Jesus intui esse desejo que o jovem traz no coração, por isso Sua resposta se traduz por meio de um olhar intenso, cheio de ternura e afeto. Assim diz o Evangelho: “fixou nele Seu olhar, o amou.” Percebeu que se tratava de um bravo moço. Mas, Jesus também percebe qual era o ponto frágil do seu interlocutor, e lhe faz uma proposta concreta: a de dar todos os seus bens aos pobres e segui-Lo. Entretanto, aquele jovem tem o coração dividido entre dois senhores: Deus e o dinheiro, e vai embora triste. Isto mostra que a fé e o apego às riquezas não podem conviver. E assim, ao final, o ímpeto inicial do jovem cai por terra, na infelicidade de um desencadeamento fracassado.

Na segunda cena, o evangelista emoldura os olhos de Jesus, e desta vez, trata-se de um olhar pensativo, de advertência: “E olhando ao Seu redor, disse aos Seus discípulos: ´Quão difícil é para os possuem riqueza entrarem no Reino de Deus.” Diante do espanto dos discípulos que se perguntavam: “E quem pode ser salvo?”, Jesus responde com um olhar de encorajamento – é o terceiro olhar – e diz: “A salvação é impossível para os homens, mas não para Deus!” Se nos confiarmos ao Senhor, podemos superar todos os obstáculos que nos impedem de segui-Lo, no caminho da fé. Confiemos no Senhor. Ele nos dará força. Ele nos dá Salvação, Ele nos acompanha pelo caminho.

E assim chegamos à terceira cena, a da solene declaração de Jesus: “Em verdade lhes digo: quem deixar tudo para Me seguir, terá a vida eterna, no futuro, e receberá o cêntuplo, já no presente.” Este “cêntuplo” é feito pelas coisas antes possuídas e depois largadas, mas que se acham multiplicadas ao infinito. Priva-se dos bens, e se recebe em troca o gozo do verdadeiro bem; liberta-se da escravidão das coisas e gaha-se a liberdade do serviço por amor; renuncia-se à posse, e se recebe a alegria do dom. Aquilo que Jesus dizia: É mais feliz quem dá do que recebe.”

O jovem não se deixou conquistar pelo olhar do amor de Jesus, e assim, não pôde mudar. Só acolhendo com humilde gratidão o amor do Senhor, nos livramos da sedução dos ídolos e da cegueira de nossas ilusões. O dinheiro, o prazer, o sucesso fascinam, mas depois provocam desilusão: prometem vida, mas encontram morte. O Senhor pede que nos afastemos dessas falsas riquezas e que entrmos na verdadeira vida, vida plena, autêntica, luminosa. E eu lhes pergunto, a vocês, jovens, rapazes e moças, que agora estão nesta praça: “Vocês já sentiram o olhar de Jesus em vocês? O que desejam responder-Lhe? Vocês preferem deixar esta praça, com a alegria que Jesus nos dá ou com a tristeza no coração que o mundanismo nos oferece?”

Que a Virgem Maria nos ajude a abrir o nosso coração para o amor de Jesus, ao olhar de Jesus, o único que pode saciar nossa sede de felicidade.

https://www.youtube.com/watch?v=EWZNE-0s4vA(Do minuto 0:38 ao minuto 08:40)
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta