Papa Francisco: a luz da fé!

Mensagem no “Ângelus, 21.02.2016

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

O segundo Domingo da Quaresma nos apresenta o evangelho da Transfiguração. E a viagem que fiz, dias passados, ao México, foi para todos nós uma experiência de transfiguração. Como nunca, o Senhor nos mostrou a luz de Sua glória, através do corpo de Sua Igreja, do Seu povo santo, que vive naquela terra. Um corpo tantas vezes ferido, um povo tantas vezes oprimido, desprezado, violado, em sua dignidade.

De fato, os diversos encontros vividos no México foram cheios de luz, a luz da fé, que transfigura os rostos e torna a clarear o caminho. O Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe foi o centro espiritual das várias peregrinações. Permanecer em silêncio diante da imagem da Mãe – era o que me propunha, antes de tudo. E agradeço a Deus por me ter concedido. Contemplei, e deixei-me contemplar por por aquela que traz impressos em seus olhos os olhares de todos os seus filhos e recolhe as dores pela violência, pelos sequestros, as execuções, os abusos de poder, em prejuízo de tanta gente pobre, de tantas mulheres. Guadalupe é o Santuário mariano mais frequentado do mundo. De toda a América para lá vai gente, para rezar lá onde a Virgem “Morenita” se revelou ao Índio São Juan Diego, dando início à evangelização do continente e à sua nova civilização, fruto do encontro entre várias culturas.

E esta é a herança que o Senhor conferiu ao México: cuidar da riqueza da diversidade e, ao mesmo tempo, manifestar a harmonia da fé comum, uma fé sincera e robusta, acompanhada de um grande carga de vitalidade e de humanidade. Tal como meus predecessores, eu fui também confirmar a fé do povo mexicano, mas também para ser por ele confirmado. De mãos cheias, recolhi este dom para que vá em benefício da Igreja universal.

Um exemplo luminoso do que estou a dizer doi dado pelas famílias: as famílias mexicanas me acolheram com alegria como mensageiro de Cristo, Pastor da Igreja; mas, por sua vez, eles me deram testemunhos límpidos e fortes, testemunhos de fé viviva, de fé que transfigura a vida, e isto para a edificação das famílias cristãs do mundo. E o mesmo se pode dizer, em relação aos jovens, para os consagrados, para os sacerdotes, para os trabalhadores, para os presos.

Por isto, rendo graças ao Senhor e à Virgem de Guadalupe, pelo dom dessa peregrinação.

Além disso, agradeço ao Presidente do México e às demais Autoridades civis, pela calorosa acolhida. Agradeço vivamente aos meus irmãos no Episcopado e a todas as pessoas que, de muitas maneiras, colaboraram.

Elevamos um louvor especial à Santíssima Trindade, por ter querido que, nessa ocasião, acontecesse, em Cuba, o encontro entre o Papa e o Patriarca de Moscou e de toda a Rússia, o caro irmão Kirill: um encontro tão desejado pelos meus predecessores. Também, esse evento é uma luz profética de Ressurreição, de que hoje o mundo necessita mais que nunca. Que a Santa Mãe de Deus continue a nos guiar, no caminho da unidade..Rezemos juntos à Senhora de Kazan – o Patriarca Kirill me deu de presente um ícone de Nossa Senhor de Kazan – uma Ave Maria. Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

https://www.youtube.com/watch?v=8NLA6aUkOFg
(Do minuto 02:25 ao minuto 09:21)
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta