Papa compartilha a alegria de reencontrar jovens na JMJ de Lisboa em 2023

Por Andresa Collet

O desejo veio durante a Audiência Geral e justamente na saudação aos peregrinos de língua portuguesa: “a alegria de nos encontrarmos e a vontade de estar juntos são sinais fundamentais para o mundo de hoje, dilacerado por confrontos e guerras. Que Nossa Senhora guarde o nosso desejo de comunhão e de paz”. O Papa também recordou do Dia Mundial da Juventude em nível diocesano celebrado no último domingo (20).

A exatamente 250 dias da Jornada Mundial da Juventude que acontece no início de agosto de 2023, o Papa Francisco compartilhou a alegria do reencontro no evento mundial em Lisboa, em Portugual. Ao saudar os peregrinos de língua portuguesa na Audiência Geral desta quarta-feira (23), especialmente os provenientes de Chapecó, do Estado de Santa Catarina, e também de Portugal, o Pontífice afirmou:

“No domingo passado foi celebrado nas dioceses o Dia Mundial da Juventude, com o pensamento dirigido para o encontro de jovens que se realizará no próximo ano em Lisboa. A alegria de nos encontrarmos e a vontade de estar juntos são sinais fundamentais para o mundo de hoje, dilacerado por confrontos e guerras. Que Nossa Senhora guarde o nosso desejo de comunhão e de paz. Deus vos abençoe.”

No último final de semana, o Papa esteve na região italiana do Piemonte, de onde presidiu à missa no domingo, 20 de novembro, Solenidade de Cristo Rei, data em que também se celebra a Jornada Mundial da Juventude em nível diocesano. A partir da Catedral de Asti, o Pontífice deixou uma palavra especial aos jovens presentes na celebração e aos jovens de todo o mundo:

“Desde o ano passado, a Jornada Mundial da Juventude é celebrada nas Igrejas particulares precisamente na Solenidade de Cristo Rei. O tema, o mesmo da próxima JMJ, em Lisboa, para a qual renovo o convite para participarem, é ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1,39).”

Francisco reforçou que “o segredo para permanecer jovem” está precisamente nestes dois verbos – levantar e partir. Dirigindo-se aos jovens, pediu para que “não fiquem parados pensando em si mesmos, desperdiçando a sua vida em busca de conforto ou da última moda”, mas que “se façam à estrada, saiam dos seus medos para estender a mão a quem precisa.”

“Hoje precisamos de jovens que sejam verdadeiramente transgressores. Não conformistas. Que não sejam escravos dos celulares, mas mudem o mundo como Maria, levando Jesus aos outros, tratando dos outros, construindo comunidades fraternas com os outros, realizando sonhos de paz”, afirmou o Papa.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta