Ordem e Progresso na Cidade Maravilhosa

Entre o verde, o amarelo e o azul estrelado se destaca a frase “Ordem e Progresso” sobre o branco, na linda bandeira brasileira.  Teoricamente, essa frase é muito conhecida pelos nossos compatriotas; já na prática, é uma verdadeira utopia. Todos já ouviram falar sobre, mas ninguém nunca viu.
A “Ordem e o Progresso”, tão sonhado pelo povo brasileiro, no Rio de Janeiro começou a acontecer, mas não como um sonho, e sim como um terrível pesadelo para a classe popular.
Desde que a cidade maravilhosa foi eleita para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, e o Brasil, escolhido como sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014, o Governador Sérgio Cabral e o Prefeito Eduardo Paes começaram a promover a ordem e o progresso que visa beneficiar apenas uma classe social da cidade do Rio de Janeiro: a elite carioca.
ordem referida nesse artigo é a de despejo, de limpeza étnica – que tem como principal finalidade deletar a imagem da Favela e do Favelado do cartão postal da “cidade maravilhosa”. A intenção é apresentar para os visitantes do Rio de Janeiro, que vierem prestigiar esses eventos, que a cidade é verdadeiramente maravilhosa, escondendo a pobreza e a miséria em que vive a maior parcela da população carioca.
Remover as comunidades pobres das proximidades onde serão realizados os eventos esportivos é, como diz no ditado popular, matar dois coelhos com uma paulada só – Além de promover a imagem de um Rio de Janeiro maravilhoso, supervaloriza os imóveis dessas regiões.
A partir dessa ordem começa o progresso classista e excludente. Um progresso que promete transformar e melhorar a cidade do Rio de Janeiro. Mas para quem? Para uma pequena parcela da sociedade carioca e para turistas, verdadeiramente, não nos interessa.
Um dos principais argumentos políticos para o povo apoiar a candidatura da cidade e do país nesses eventos, era de uma mudança profunda na realidade social. Até agora a única mudança promovida na vida do pobre foi de um lugar para o outro – quando expulso de sua casa para um lugar mais longe do seu trabalho, do seu estudo e, principalmente, da sua dignidade e direito de cidadão.
(*) Cléber Araújo mantém o blog Barraco@dentro.

2 comentários sobre “Ordem e Progresso na Cidade Maravilhosa”

  1. É muito triste o que acontece no Rio de Janeiro. As pessoas não entendem porque o carioca não trata essa cidade com apreço. Não tratam a cidade com apreço pq, simplesmente, sentem que a cidade não é feita para eles. Nâo tem sentimento de pertencimento e são tratados como lixo.

Deixe uma resposta