O Desenho da nova Governança: Brasileiros tomam posse do Brasil 

Transformar o Desenho em real 

É tarefa hercúlea dos ‘’ de baixo”

 

Refreada a barbárie, no Brasil

Resta viva, porém, sua raiz

 

O Fascismo rebrota, em todo o mundo

Pois fecunda é a besta que o produz

 

Esta besta tem nome: é Capital

Em seu livro, Mascaro o analisa

( https://www.boitempoeditorial.com.br/produto/critica-do-fascismo-1274 )

 

Pelo voto, vencemos Bolsonaro

Segue vivo, contudo, o Bolsonarismo

 

Vigorosa porção da burguesia

Derramou seu tesouro em Bolsonaro

 

Quando finge dar bronca no Capitão

Do seu plano econômico não se afasta

 

Pra vencer Bolsonaro pelo voto

Costurou-se ampla frente eleitoral

 

Aliados estranhos cobram a conta

Paradoxo se monta: tem solução?

 

Triste herança, e maldita, a que se tem

Um cavalo de Tróia dos generais

 

Entrevista de Lula é bem certeira

Empresários só pensam em seus lucros

(https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2022/07/27/entrevista-lula-uol-integra.htm)

 

Não se importam com a fome e o desemprego

Muito menos com os Sem-terra e os Sem-teto

 

Os discursos de Lula são bem claros:

O Brasil para o Povo, não pra poucos

 

Seletiva é a Bolsa, quando oscila:

Se é Direita, ela sobe; se não, baixa…

 

No primeiro dia útil do Governo

O “Mercado”, “nervoso”, já reage

 

São os novos senhores da Casa Grande:

Nem migalhas mais cedem aos “de baixo”…

 

Assustado com o povo subindo a rampa

O “Mercado” responde, em seguida…

 

Ilusão não se tenha com a burguesia

Não se importa se o povo come osso…

 

Eis dois motes, na fala do Empossado:

Acabar com a fome; desigualdade

 

Cinco em cem dos que vivem no Brasil

São mais ricos que a metade do País

 

A chantagem da Bolsa é criminosa:

Extrai lucro da vil especulação

 

De trezentos bilhões, foi o derrame

Para eleger Bolsonaro… Mas, foi em vão

 

A fortuna torrada, um desperdício

Que o rentismo ajudou, sem reclamar

 

Seus agentes, porém, levantam a voz

Quando Lula decide pôr fim à fome

 

O Fascismo viceja pela ausência

Da ação popular interrompida

 

Nunca foi tão urgente a retomada

Do Trabalho de Base, em novo estilo

 

Raramente a Direita vai às ruas

A não ser que a Esquerda se acomode

 

Ilusão esperar só no Governo

Sem ação popular também nas ruas

 

Por robustas que sejam, Instituições

Não garantem as mudanças necessárias

 

Ditadura burguesa age assim:

Sem ter voto, o rentismo quer mandar

 

João Pessoa 03 de Janeiro de 2023

Deixe uma resposta