Mensagem do Papa Francisco – “Angelus”, 07/06/2015

papaCaros irmãos e irmãs, bom dia !

Celebra-se hoje em muitos países, entre os quais a Itália, a solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, ou, de acordo com a mais conhecida expressão latina, a solenidade do “Corpus Domini”. O Evangelho apresenta o relato da instituição da Eucaristia, cumprida por Jesus, durante a Última Ceia, no cenáculo de Jerusalém. Na véspera de sua morte redentora sobre a cruz, Ele realizou o que havia sido predito: “Eu sou o pão vivo descido do céu. Se alguém comer este pão viverá eternamente. E o pão que darei é a minha carne pela vida do mundo … Quem come a minha carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e Eu nele.” (Jo 6, 51.56). Jesus toma em suas mãos o pão e diz: “Tomem, Isto é o meu corpo” (Mc 14,22). Com este gesto e com estas palavras, Ele atribui ao pão que não é mais a de mero alimento físico, mas a de tornar presente Sua Pessoa em meio à comunidade dos crentes.

A Última Ceia representa o ponto de chegada de toda a vida de Cristo. Não se trata de mera antecipação do seu sacrifício que se cumprirá sobre a cruz, mas também síntese de uma existência oferecida pela salvação de toda a humanidade. Portanto, não basta afirmar que na Eucaristia Jesus está presente, mas é preciso ver nela a presença de uma vida doada e dela participar. Quando tomamos e comemos deste Pão, nós nos percebemos associados à vida de Jesus, entramos em comunhão com Ele, empenhamo-nos em realizar a comunhão entre nós, em transformar em dom a nossa vida, sobretudo a serviço dos mais pobres.

A festa de hoje evoca esta mensagem solidária e nos instiga a acolher o convite íntimo à conversão e ao serviço, ao amor e ao perdão. Encoraja-nos a tornar-nos, na vida, imitadores do que celebramos na liturgia. Cristo, que nos nutre sob as espécies consagradas do pão e do vinho, é o mesmo que nos vem ao encontro nos acontecimentos do dia-a-dia, é o pobre que estende a mão, é no sofredor que implora ajuda, é no irmão que pede a nossa disponibilidade e espera nossa acolhida. É na criança que nada sabe sobre Jesus, sobre a salvação, que não tem fé. É em todo ser humano, inclusive no mais pequeno e indefeso.

A Eucaristia, fonte de amor pela vida da Igreja, é escola de caridade e de solidariedade. Quem se alimenta do Pão de Cristo não pode ficar indiferente diante de tantos que não têm o pão de cada dia. E sabemos que hoje este é um problema cada vez mais grave.

A festa de «Corpus Domini» inspire e alimente cada vez mais em cada um de nós o desejo e o empenho por uma sociedade acolhedora e solidária. Depositemos esses votos no coração da Virgem Maria, Mulher Eucarística. Que ela suscite em todos a alegria de participar da Santa Missa, especialmente no dia de domingo, e a alegre coragem de testemunhar a infinita caridade de Cristo.

Fonte: http://ilsismografo.blogspot.com.br/2015/06/vaticano-langelus-di-papa-francesco.html
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta