Mensagem do Papa Francisco

“Regina Coeli”, dia 21.05.2017

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho de hoje – continuação do de domingo passado – nos remete àquele momento comovente e dramático, que é a última Ceia de Jesus com Seus discípulos. Da boca e do coração do Senhor, o Evangelista João recolhe Seus últimos ensinamentos. Antes da Paixão e da Morte, Jesus promete aos Seus amigos, naquele momento triste, sombrio, que, depois d´Ele, eles irão receber outro Paráclito. Esta palavra significa outro Advogado, um outro Defensor, um outro Consolador, o Espírito da Verdade. E acrescenta: “Não os deixarei órfãos: voltarei a vocês”. Essas palavras transmitem a alegria de uma nova vinda de Cristo. Ele, ressuscitado e glorificado, encontra-Se no Pai e, ao mesmo tempo, vem até nós no Espírito, e nesta Sua nova vinda, revela-se nossa união com Ele e com o Pai: “Vocês saberão que Eu estou no Meu Pai e vocês estarão em Mim e Eu em vocês.”

Ao meditarmos estas palavras de jesus, nós hoje percebemos, com o sentido de fé, que somos o Povo de Deus em comunhão com o Pai e com Jesus, mediante o Espírito Santo. Neste mistério de comunhão, a Igreja encontra a fonte inesgotável da própria missão, que se realiza por meio do amor. Jesus diz, no Evangelho de hoje: “Aqueles que acolhem os Meus mandamentos e os põem em prática, são os que me amam. Quem Me ama, será será amado pelo Meu Pai, e Eu também o amarei e a ele Me manifestarei.” É o amor que nos introduz ao conhecimento de Jesus, graças à ação dEste Advogado que Jesus enviou, isto é: o Espírito Santo. O amor a Deus e ao próximo constitui o maior mandamento do Evangelho. O Senhor hoje nos chama a respondermos, com generosidade, ao apelo evangélico ao amor, pondo Deus no centro de nossa vida, e dedicando-nos ao serviço dos irmãos, especialmente os mais necessitados de amparo e de consolação.

Se há uma atitude que nunca é fácil, nunca é sem custo, inclusive para uma comunidade cristã, é justamente a de saber amar, de querer bem, à luz do Senhor e com Sua graça. Às vezes, os contrastes, o orgulho, a inveja, as divisões deixam marcas inclusive no belo rosto da Igreja. Uma comunidade de cristãos deveria viver na caridade de Cristo,e, no entanto, é justamente aí que o Maligno se intromete, e às vezes nos deixamos enganar. E quem paga a conta são as pessoas espiritualmente mais frágeis. Quantas dessas pessoas – e vocês conhecem algumas – quantas delas se afastaram por não se sentirem acolhidas, por não se sentirem compreendidas, por não se sentirem amadas. Quantas dessas pessoas se afastaram, por exemplo, de alguma paróquia ou de alguma comunidade, em razão de um ambiente de fofoca, de ciúme, de inveja, que encontraram por lá! Também para um cristão, saber amar nunca é algo já conquistado uma vez para sempre: todos os dias devemos recomeçar, devemos exercitar, para que nosso amor aos irmãos e às irmãs amadureça e se purifique dos limites ou dos pecados que o tornam parcial, egoísta, estéril e infiel. Todos os dias devemos aprender a arte de amar. Ouçam bem isto: todos os dias devemos aprender a arte de amar. Todos os dias, devemos seguir com paciência a escola de Cristo. Todos os dias, devemos perdoar e contemplar Jesus, e isto com a ajuda deste Advogado, deste Consolador que Jesus nos enviou, que é o Espírito Santo.

Que a Virgem Maria, perfeita discípula do Seu Filho e Senhor, nos ajude a sermos sempre mais dóceis ao Paráclito, o Espírito de Verdade, para aprendermos, cada dia, a amar-nos como Jesus nos amou.

https://www.youtube.com/watch?v=YVcIsvesPFA
(Do minuto 0:24 ao minuto 07:51)
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta