Mensagem do Papa Francisco

“Ângelus”, dia 06.08.2017

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

Neste domingo, a Liturgia celebra a festa da Transfiguração do Senhor. A página do Evangelho de hoje conta que os apóstolos Pedro, Tiago e João foram testemunhas deste evento extraordinário. Jesus os tomou consigo e os levou à parte a um alto monte, e, enquanto orava, o Seu rosto mudou de aspecto, a brilhar como o Sol e sua veste resplandecia como a luz. Então, apareceram Moisés e Elias, a conversarem com Ele. A esta altura, Pedro disse a Jesus: “Senhor, é bom estarmos aqui. Se quiseres, farei três tendas, uma para Ti, uma Moisés e outra para Elias.” Ainda não havia acabado de falar, quando uma nuvem luminosa os envolveu. O evento da Transfiguração do Senhor nos oferece uma mensagem de esperança – assim nós estaremos com Ele – convida-nos a encontrar-nos com Jesus, para estarmos a serviço dos irmãos. A subida dos discípulos ao Monte Tabor nos leva a refletir sobre a importância de nos afastamos das coisas mundanas, para fazermos uma caminhada em direção ao alto, e contemplar Jesus. Trata-se de nos dispormos a uma escuta atenta e orante do Filho Amado do Pai, à procura de momentos de oração que permitam a acolhida dócil e alegre da Palavra de Deus. Nesta subida espiritual,. Neste afastamento das coisas mundanas, somos chamados a descobrir o silêncio apaziguador e regenerador da meditação do Evangelho, da leitura da Bíblia, que conduz a uma meta rica de beleza, de esplendor e de glória. E quando assim nos colocamos, com a Bíblia na mão, começamos a sentir esta beleza interior, esta alegria gerada em nós pela Palavra de Deus. Nesta perspectiva, o tempo de deserto é um momento providencial, para fortalecer nosso empenho em buscar e encontrar o Senhor.

Neste período, os estudantes estão livres das lides escolares, muitas famílias passam suas férias. É importante que, no período de repouso e de afastamento das ocupações do dia-a-dia, possam recarregar as froças do corpo e do espírito, aprofundando o caminho espiritual.

Após a experiência admirável da Transfiguração, os discípulos desceram o Monte, com os olhos e o coração transfigurados pelo encontro com o Senhor. É o percurso que também nós podemos fazer. A descoberta cada vez mais viva de Jesus não para em si mesma, mas nos induz a descer do Monte, recarregados pela força do Espírito divino, para tomarmos a decisão de novos passos de conversão e para testemunharmos constantemente a Caridade, como lei da vida de cada dia.Transformados pela presença de Cristo e pelo ardor de Sua Palavra, seremos sinal concreto do Amor vivificante de Deus para com todos os nossos irmãos, especialmente por quem sofre, por quantos se acham na solidão e no abandono, pelos doentes e pela multidão de homens e mulheres que, em diversas partes do mundo, são humilhados pela injustiça, pela prepotência e pela violência.

Na Transfiguração, ouve-se a voz do Pai celeste que diz: “Este é o meu Filho Amado. Escultem-nO!”. Olhemos para Maria, a Virgem da escuta, sempre pronta a acolher e guardar no coração toda palavra do Filho divino. Queira a nossa Mãe e Mãe de Deus ajudar-nos a entrar em sintonia com a Palavra de Deus, e que assim Cristo se torne luz e guia de toda a nossa vida. A ela confiamos as férias de todos, para que sejam serenas e proveitosas, mas sobretudo a estadia de quantos não podem ter férias, por estarem impedidos pela idade, por motivos de saúde ou de trabalho, pelas restrições econômicas ou por outros problemas, a fim de que sua estadia seja, de todo modo, um tempo de espairecimento, animado pela presença amiga e por momentos alegres.

https://www.youtube.com/watch?v=8hLYieQDO2s
(Do minuto 10:54 ao minuto 17: )
Trad.: AJFC

Deixe uma resposta