Memória e Jornalismo em debate na Biblioteca Nacional

A primeira etapa do projeto Centro de Cultura e Memória do Jornalismo (CCMJ), que reúne acervos como a biblioteca de Joel Silveira, encerra-se no dia 26 de julho. Nesta data, das 9 às 18 horas, será realizado o Seminário Jornalismo e Memória, no Espaço Cultural Eliseu Visconti da Fundação Biblioteca Nacional (Rua México s/nº. Centro).
A entrada no evento é gratuita. Para inscrição, envie e-mail com nome completo para sindicato-rio@jornalistas.org.br, preenchendo o campo assunto com INSCRIÇÃO SEMINÁRIO JORNALISMO E MEMÓRIA.
Representantes de mais de dez entidades ligadas à preservação de acervos e pesquisa – como o Museu da Língua Portuguesa, a Fundação Roberto Marinho e o Instituto Moreira Salles – estarão presentes ao seminário. “Vamos debater o papel da imprensa na constituição da memória do País”, expõe a presidente do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio, Suzana Blass.
O jornalista Sérgio Cabral, um dos criadores do jornal Pasquim, e Alzira Alves de Abreu, do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas, estão entre os debatedores. A programação do seminário conta com três paineis: Museus Públicos e Privados: Constituição e Sustentação; Jornalismo e Memória; Museus e Novas Tecnologias.
O CCMJ foi inaugurado em setembro do ano passado, por iniciativa do próprio Sindicato. Na ocasião, foi lançado o livro Memória de Repórter: Lembranças, casos e outras histórias de jornalistas brasileiros – décadas de 1950 a 1980. A obra detalha, por exemplo, a relação dos jornalistas com as fontes e a produção do jornal em época de poucos recursos tecnológicos.
“O Centro de Cultura é um espaço que queremos levar adiante, em parceria com outras instituições, com o objetivo de fomentar um jornalismo de qualidade, ético e mostrar através de debates, exposições temáticas, entre outras coisas, a relevância da imprensa na construção da história do Brasil”, diz a presidente do Sindicato.
No site do CCMJ, jornalistas como Alberto Dines, Bartolomeu Brito, José Hamilton Ribeiro dão seus depoimentos sobre sua trajetória na imprensa. Ao todo são 52 testemunhos de profissionais que fizeram a história dos periódicos brasileiros.
Além de preservação jornalística, o CCMJ também guarda a literatura que passou pelas mãos do jornalista Joel Silveira. São 5 mil livros do acervo pessoal do autor de Eram Assim os Grã-Finos em São Paulo que estão guardados no local.
Visitas e pesquisa no Centro de Cultura e Memória do Jornalismo podem ser agendadas pelo telefone 21 3906-2450 ou pelo e-mail sindicato-rio@jornalistas.org.br. O espaço fica na Rua Evaristo da Veiga 16 / 7º andar, sala 702.
PROGRAMAÇÃO SEMINÁRIO JORNALISMO E MEMÓRIA
9 horas- Credenciamento
9h30: Mesa de Abertura. Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio, ABI, Ibram, Governo do Estado e Prefeitura do Rio.
10 horas: Mesa 1. Museus Públicos e Privados – Constituição e Sustentação. Ibram, Sérgio Burgi (Instituto Moreira Salles), Museu do Futebol, Antônio Carlos Sartini (Museu da República) e Mariana Várzea (Superintendência de Museus do Estado do Rio). Mediadora: Suzana Blass (Sindicato dos Jornalistas).
Meio-dia: Brunch.
14 horas: Mesa 2. Jornalismo e Memória. Jornalista Sérgio Cabral, CPDOC-FGV, Galeno Amorim (Fundação Biblioteca Nacional) e Joelle Rouchou (Casa Rui Barbosa). Mediador: jornalista Marcelo Beraba.
16 horas: Mesa 3. Museus e Novas Tecnologias. Antônio Carlos Sartini (Museu da Língua Portuguesa), Oi Futuro, Andréa Falcão (Gerente de Museus – Secretaria Municipal de Cultura) e Ronald Sclavi (Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico). Mediador: jornalista Aziz Filho.
(*) Divulgação assessoria do evento.

Deixe uma resposta