Las artes de Lazarte

O conhecidíssimo escritor, poeta, pintor, terapeuta comunitário, sociólogo, militante de direitos humanos e ativista do grupo de cristãos de esquerda em João Pessoa, além de colaborador no grupo de estudos e pesquisas em enfermagem da UFPB, partilha com as leitoras e leitores de Consciência, as seguintes reflexões:

Entre outras modalidades de arte, Lazarte é também pintor. Como bom pintor, sempre sonhou com ter uma modelo na sua frente para poder passá-la para o papel. Após anos e anos de tentativas infrutíferas com aquelas amigas, conhecidas, colegas ou chegadas, namoradas e assemelhadas, lembrou-se de Van Gogh, Gauguin, Picasso, Manet, Monet, os mestres da pintura. Fernando Fader, Modigliani, El Greco, Goya. ¿Quem pintaria? Passaram na sua mente as diversas mulheres que na sua vida admirara. Eram muitas, uma mais bela do que outra. Não lembrava de ter gostado de tantas mulheres, nem de ter gostado e seguir gostando tanto de mulheres. Eram uma infinidade. Entre todas, compunham como que uma tela infinita. ¿Qual pintaria? Uma só, que era todas. Via você. Lembrou de você. Pensou em pedir a você para passar para a posteridade, para a eternidade, para a imortalidade, no pincel, no lápis, nas mãos de Lazarte.

Deixe uma resposta