Hugo Chávez: agora a revolução será vista

A revolução que começou há 14 anos com Hugo Chávez, continuará mesmo sem o seu protagonista. O presidente venezuelano deixou raízes na sociedade do país, em especial nos mais pobres que finalmente estão tendo uma vida mais digna. O povo tem a missão de continuar levando adiante a Revolução.
Por mais de cinquenta anos, os partidos que se alternavam na presidência da Venezuela sempre tiveram altos lucros com a venda de Petróleo. Contudo, a população mais necessitada da Venezuela sequer via uma contrapartida social de sua venda. Hugo Chávez mudou, fez sua primeira Revolução em uma década e meia ao exterminar o analfabetismo do país, com certificado da Unesco e Unifec. Mais de dois milhões de pessoas se libertaram da escravidão e escuridão da ignorância. Era o início da Revolução, regida por presidentes oriundos das camadas populares, que mudaria todo o mapa político do continente no começo dos anos 2000.
Infelizmente tudo que vem beneficiando o povo, não agrada a burguesia média alta. Hugo Chávez quase pagou um preço caro: uma tentativa de golpe. Golpe planejado pelos grandes empresários da mídia golpista do país, e aplaudido pela mídia golpista brasileira junto com seus intelectuais de plantão. Foi quando o povo saiu às ruas e pediu a volta de Chávez e, em quarenta e oito horas, o presidente venezuelano voltou ao seu posto como presidente legítimo e de fato!


Hugo Chávez morreu, deixou marcas. Colocou sobre o povo a responsabilidade da continuidade da Revolução popular.
Espero que um dia o povo brasileiro desperte e saiba o poder que tem nas mãos, e faça iniciativas em todos os sentidos em relação às mudanças sociais. E, em especial, aquelas que há séculos estamos esperando, como a reforma agrária.
(*) Fábio Nogueira é estudante de história da faculdade Castelo Branco e militante da Educafro. E-mail fabionogueira95@yahoo.com.br

Deixe uma resposta