Esquerda libertária ou autoritária?

O que poderia ser dito sobre o tema, que já não tenha sido dito? Poderiam-se derramar rios de palavras sobre uma e outra modalidades da esquerda, sem que surja nada de novo. Talvez fosse mais uma tentativa de cindir a realidade e as pessoas em dois: os bons, entre os que me conto, e os ruins, onde os outros estão. No entanto, alguma coisa me vem para dizer agora, não tanto pensando em estar dizendo coisas novas, mas talvez apenas para reavivar, para mim mesmo, coisas que me faz bem ter em mente, vivas e presentes.

A esquerda libertária prima pela libertação dos sujeitos individuais e sociais. A autoritária é uma tentativa de mudar a dominação, que seria não mais burguesa ou capitalista, mas socialista ou comunista. Numa, você se torna quem é, na outra, alguém está lhe dizendo o que você é e o que deve fazer. Numa, primam os exemplos e atitudes. Na outra, os discursos inflamados, a ideologia, o discurso.

Talvez esta seja a maior das diferenças. Devo dizer que me parece que em cada um de nós, libertários ou autoritários, brigam as duas tendências. Lembro dos meus primeiros anos de lutas políticas, lá pelos idos de 1966. Já as disputas nesta linha eram bravas. Comunistas e anarquistas. Em 1970, a disputa continuava. Libertação da consciência, ou social e política.

A libertação da consciência é social e política, envolve mudanças na forma como você se vê a si mesmo e aos outros, e mudanças nas formas como você se relaciona com os outros, e isto é sociedade e política. Gandhi, Che Guevara, Jesus, são libertários, porque mudaram a si mesmos e ao mundo ao mesmo tempo. Isto é indissociável: eu sou o mundo a ser mudado. Enquanto eu continuar a achar defeitos nos outros, achando que eles devem mudar e que eu é que estou certo, estarei sem dúvida entre os reacionários. Se eu puder ir aumentando meu amor pelos demais e por mim mesmo, tornando-me alguém mais fluente e menos rígido, estarei entre os que fazem o mundo um pouco melhor a cada dia. O tema da para muito, e me parece que vale a pena explorá-lo desde muitos ângulos e pontos de vista.

2 comentários sobre “Esquerda libertária ou autoritária?”

  1. Que bom ver textos como esse publicados. Afinal, uma das grandes dificuldades que enfrentamos (na condição de sujeitos) é enxergar nossos próprios erros ou, ao menos, voltarmos um olhar crítico para nós mesmos, deixando de associar os problemas da vida apenas à figura do Outro – esse ser quase fantasioso sobre o qual repousamos, com frequência, nossos mais profundos sentimentos de culpa.

Deixe uma resposta