Encontro de arte negra

consciencia_negra
De 14 a 17 de dezembro a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) vai sediar o Seminário de Estética e Negritude no Brasil Contemporâneo. O encontro é uma promoção do Centro de Informação e Documentação do Artista Negro (Cidan), cujo propósito é reunir intelectuais e artistas afro-brasileiros numa série de palestras e debates sobre a presença estética do negro na cultura brasileira. Os temas apresentados pelos palestrantes serão publicados numa revista ao final do evento.
Segundo os seus organizadores, um dos principais objetivos do seminário é debater, mapear e apresentar a estética da negritude com base nos caminhos percorridos por este conceito que serão debatidos por estudiosos do tema, como Muniz Sodré, Helena Teodoro, Joel Rufino, Nelson Inocêncio, Jacques D´Adesky, Nei Lopes, Emanoel Araujo, Delcio Teobaldo, entre outros intelectuais com importantes produções acadêmicas e culturais sobre o assunto.
Programação:
Dia 14/12/09
Abertura
Horário: 18h – sessão de Abertura com a participação de autoridades e convidados.
Local: Auditório Oscar Guanabarino da ABI, na Rua Araújo Porto Alegre 71 – Centro (RJ).
Saudações e apresentação do evento pelo presidente do CIDAN – Antonio Pompêo
Convidados:
Edson Santos – Ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial
Zulu Araújo – Presidente da Fundação Cultural Palmares
Sergio Mamberti – Presidente da FUNARTE
Milton Gonçalves – Ator
Ricardo Vieiralves – Reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Zózimo Bulbul – Cineasta
Carlos Alberto Medeiros – Coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – Prefeitura do Rio de Janeiro
Zezé Motta – Presidente de Honra do CIDAN
Dia 15/12/2009
Local: Auditório Belisário de Souza, no 7º andar da ABI
09h30 – 12h30 – Mesa I: Negritude (s) em trânsito e reapropriação do belo.
Coordenação:
Martivs Chagas – SEPPIR
Palestrantes:
Muniz Sodré – Presidente da Fundação Biblioteca Nacional
Helena Teodoro – Escritora
Jacques d`Adesky – Conselheiro Acadêmico da CLACSO
13h30 – 16h30 – Mesa II – Letras na Diáspora Temática: Poética e Política
Coordenação:
Ricardo Vieiralves – Reitor da Uerj
Joel Rufino dos Santos – Escritor
Elisa Lucinda – Atriz – Poeta
Éle Semóg – Escritor
Dia 16/12/2008
Local: Auditório Belisário de Souza, no 7º andar da ABI
09h30-12h30 – Mesa III – Reapropriação e legitimidade das expressões afro-brasileiras
Coordenação:
Antonio Molina – Vice-Presidente do CIDAN
Palestrantes:
Julio Tavares – Antropólogo UFF
Zulu Araujo – Presidente da FCP
Ronaldo Rêgo – Artista Plástico
13h30 – 16h30 – Mesa IV – Formas, pincéis e traços da mulher e do homem de cor, Imagens, folclorização e consumo: Quem faz e quem vende o “Produto Afro?”
Coordenação:
Renata Melo – SEPPIR
Palestrantes:
Nelson Inocêncio – Professor da Unb
Pestana – jornalista – Diretor da revista RAÇA
Januário Garcia – Fotógrafo
Dia 17/11/09
Local: Auditório Belisário de Souza, no 7º andar da ABI
09h30 -12h30 – Mesa V – Nós e os outros na m música negra contemporânea.
Coordenação:
Sergio Cabral – Jornalista e pesquisador
Palestrantes:
Haroldo Costa – Pesquisador
Carlos Negreiros – Músico e Pesquisador
Delcio Teobaldo – Escritor – Jornalista – Musicólogo
Augusto Bapt – Músico
13h30 – 16h30 – Mesa VI –Temática: Agência Negra e Grande Mídia: inserção e ativismo político
Coordenação:
Carlos Alberto Medeiros – Coordenador de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – Prefeitura do Rio de Janeiro
Palestrantes:
Joelzito Araujo – Cineasta
Sandra Almada – Jornalista
Jeferson De – Cineasta
Luiz Antônio Pilar – Diretor de Novelas na Rede Globo

Um comentário sobre “Encontro de arte negra”

  1. REVOLUÇÃO QUILOMBOLIVARIANA!
    Manifesto em solidariedade, liberdade e desenvolvimento dos povos afro-ameríndio latinos, no dia 01 de maio dia do trabalhador foi lançado o manifesto da Revolução Quilombolivariana fruto de inúmeras discussões que questionavam a situação dos negros, índios da América Latina, que apesar de estarmos no 3º milênio em pleno avanço tecnológico, o nosso coletivo se encontra a margem e marginalizados de todos de todos os benefícios da sociedade capitalista euro-americano, que em pese que esse grupo de países a pirâmide do topo da sociedade mundial e que ditam o que e certo e o que é errado, determinando as linhas de comportamento dos povos comandando pelo imperialismo norte-americano, que decide quem é do bem e quem do mal, quem é aliado e quem é inimigo, sendo que essas diretrizes da colonização do 3º Mundo, Ásia, África e em nosso caso América Latina, tendo como exemplo o nosso Brasil, que alias é uma força de expressão, pois quem nos domina é a elite associada a elite mundial, é de conhecimento que no Brasil que hoje nos temos mais de 30 bilionários, sendo que a alguns destes dessas fortunas foram formadas como um passe de mágica em menos de trinta anos, e até casos de em menos de 10 anos, sendo que algumas dessas fortunas vieram do tempo da escravidão, e outras pessoas que fugidas do nazismo que vieram para cá sem nada, e hoje são donos deste país, ocupando posições estratégicas na sociedade civil e pública, tomando para si todos os canais de comunicação uma das mais perversas mediáticas do Mundo. A exclusão dos negros e a usurpação das terras indígenas criaram-se mais e 100 milhões de brasileiros sendo este afro-ameríndio descendente vivendo num patamar de escravidão, vivendo no desemprego e no subemprego com um dos piores salários mínimos do Mundo, e milhões vivendo abaixo da linha de pobreza, sendo as maiores vitimas da violência social, o sucateamento da saúde publica e o péssimo sistema de ensino, onde milhões de alunos tem dificuldades de uma simples soma ou leitura, dando argumentos demagógicos de sustentação a vários políticos que o problema do Brasil e a educação, sendo que na realidade o problema do Brasil são as péssimas condições de vida das dezenas de milhões dos excluídos e alienados pelo sistema capitalista oligárquico que faz da elite do Brasil tão poderosas quantos as do 1º Mundo. É inadmissível o salário dos professores, dos assistentes de saúde, até mesmo da policia e os trabalhadores de uma forma geral, vemos o surrealismo de dezenas de salários pagos pelos sistemas de televisão Globo, SBT e outros aos seus artistas, jornalistas, apresentadores e diretores e etc.
    Manifesto da Revolução Quilombolivariana vem ocupar os nossos direito e anseios com os movimentos negros afro-ameríndios e simpatizantes para a grande tomada da conscientização que este país e os países irmãos não podem mais viver no inferno, sustentando o paraíso da elite dominante este manifesto Quilombolivariano é a unificação e redenção dos ideais do grande líder Zumbi do Quilombo dos Palmares a 1º Republica feita por negros e índios iguais, sentimento este do grande líder libertador e construí dor Simon Bolívar que em sua luta de liberdade e justiça das Américas se tornou um mártir vivo dentro desses ideais e princípios vamos lutar pelos nossos direitos e resgatar as histórias dos nossos heróis mártires como Che Guevara, o Gigante Oswaldão líder da Guerrilha do Araguaia. São dezenas de histórias que o Imperialismo e Ditadura esconderam.Há mais de 160 anos houve o Massacre de Porongos os lanceiros negros da Farroupilha o que aconteceu com as mulheres da praça de 1º de maio? O que aconteceu com diversos povos indígenas da nossa América Latina, o que aconteceu com tantos homens e mulheres que foram martirizados, por desejarem liberdade e justiça? Existem muitas barreiras uma ocultas e outras declaradamente que nos excluem dos conhecimentos gerais infelizmente o negro brasileiro não conhece a riqueza cultural social de um irmão Colombiano, Uruguaio, Argentina, Boliviana, Peruana, Venezuelano, Argentino, Porto-Riquenho ou Cubano. Há uma presença física e espiritual em nossa história os mesmos que nos cerceiam de nossos valores são os mesmos que atacam os estadistas Hugo Chávez e Evo Morales Ayma,não admitem que esses lideres de origem nativa e afro-descendente busquem e tomem a autonomia para seus iguais, são esses mesmos que no discriminam e que nos oprime de nossa liberdade de nossas expressões que não seculares, e sim milenares. Neste 1º de maio de diversas capitais e centenas de cidades e milhares de pessoas em sua maioria jovem afro-ameríndio descendente e simpatizante leram o manifesto Revolução Quilombolivariana e bradaram Viva a,Viva Simon Bolívar Viva Zumbi, Viva Che, Viva Martin Luther King,Malcolm X Viva Oswaldão, Viva Mandela, Viva Chávez, Viva Evo Ayma,Rafael Correa, Fernando Lugo, Viva a União dos Povos Latinos afro-ameríndios, Viva 1º de maio, Viva os Trabalhadores do Brasil e de todos os povos irmanados.
    Movimento Revolucionário Socialista QUILOMBOLIVARIANO
    vivachavezviva.blogspot.com/
    quilombonnq@bol.com.br
    Organização Negra Nacional Quilombo
    O.N.N.Q. Brasil fundação 20/11/1970
    por Secretário Geral Antonio Jesus Silva

Deixe uma resposta