Comentário: A derrota do pensamento de esquerda no Rio

O articulista de esquerda Emir Sader publicou na Carta Maior o artigo “A derrota da esquerda no Rio“. Sugere: “O argumento do candidato do PSOL não foi mais consistente: uma vez mais enganaram-se sobre onde está a direita, negando-se a apoiar a Jandira, dizendo que ela é “da base governista”, o que parece condenar o candidato a estar na direita, já que o PSOL entrou no caminho sem volta de tomar o PT como o inimigo fundamental […]”.

Não sou do PSOL, mas o que este partido sinalizava era que Jandira tinha alianças absolutamente conservadoras. O problema não era o “PT como o inimigo fundamental”, nunca foi. O que o PSOL-RJ sinalizou claramente, por meio de seu candidato a prefeito, era que se tornava insustentável a aliança, por exemplo, com o PMDB. E vinha coisa pior ainda de Brasília.

Dito e feito: Jandira apóia Eduardo Paes! Este, por sua vez, é amigo de um famoso chefe de quadrilha aqui no Rio, Álvaro Lins, apoiado como “homem de caráter” por Sergio Cabral na campanha de 2006. Sergio Cabral, amigo de Lins, é o “nosso” governador e principal articulador da campanha de Paes. Todos do PMDB. Lembrando – sem julgar previamente, apenas para lembrar – que agora Jandira e Marcelo Crivella apoiam a mesma candidatura, simplesmente porque de fato são da base aliada do Governo Federal.

Jandira está diariamente com Paes nas ruas. Não é um “voto crítico”, que é a baboseira que muitos falam para justificar a vergonha em votar em gente de direita, da pior direita que existe.

Perguntar não é crime: Emir Sader, que achava que Jandira era o nome da esquerda no Rio, agora apoiará o Eduardo Paes? Eduardo Paes, agora, é de esquerda? Lamentável este posicionamento, que demonstra um certo clima de derrota – não da esquerda, mas do pensamento de parte da esquerda.

Parece ser o fim, para alguns segmentos políticos outrora combativos, das ideologias – dando lugar às “táticas” eleitorais.

2 comentários sobre “Comentário: A derrota do pensamento de esquerda no Rio”

  1. Entendo perfeitamente que segmentos da esquerda rechacem a candidatura do Gabeira. Afinal, ele está com o PSDB e tem o apoio do DEM. Ok. Agora me aparece a Jandira defendendo Paes e trazendo onome de Lula como o fio condutor entre os dois ex-adversários de menos de um mês atrás. E Paes é celebrado em comícios com bandeiras do PT, PSB, PCdoB e PDT. Se o objetivo é formar uma base aliada, beleza, mas podiam ser mais discretos, né? Transformar Paes num ícone da esquerda carioca é, francamente, o maior símbolo da decadência do pensamento da esquerda do Rio de Janeiro, que já ficou evidente na pulverização de candidatos no primeiro turno. No fim das contas, oPSOL teve o comportamento mais coerente: afirmou não apoiar Paes por ser do PMDB de Garotinho, e nem Gabeira (“embora compreendesse que muitos de seus eleitores tivessem visões progressistas”), pelo apoio do PSDB.

Deixe uma resposta