Caros Amigos completa 14 anos com debate sobre a democratização da mídia

Na contramão do pensamento único que domina a imprensa tupiniquim, a revista Caros Amigos completa 14 anos promovendo o debate “Os desafios para a democratização da mídia”. O evento será realizado na próxima quinta-feira (28), no Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca Arena), aberto ao público a partir das 19 horas. O debate contará com personalidades que há anos discutem formas de melhorar o campo das comunicações no Brasil, como a deputada Luiza Erundina, o editor da Revista Retrato do Brasil, Raimundo Pereira, e o jornalista Paulo Henrique Amorim, dentre outros.
De acordo com o editor da Caros Amigos, Hamilton Octavio de Souza, o tema do debate tem tudo a ver com a luta de parcela da sociedade brasileira no sentido de democratizar o sistema de comunicação social existente no país. Segundo ele, o Brasil só será uma democracia ampla, sem exclusão, quando todos os setores da sociedade tiverem liberdade de expressão e acesso aos meios de comunicação.
“Atualmente o sistema de comunicação é dominado por alguns grupos empresariais, vivemos num verdadeiro oligopólio. A luta pela democratização vem de muitos anos, desde a luta contra a Ditadura Militar, mas pouco se avançou depois da Constituição de 1988. O debate é necessário. Mais que o debate, é preciso mobilização e força social para conquistar mudanças concretas nesse sistema. É preciso criar novo modelo de concessões de rádio e TV, é preciso criar controles sociais da comunicação em geral, é preciso resgatar o sentido público da comunicação. A revista Caros Amigos está nessa luta”, afirma o editor.
Num contexto informativo cada vez mais imediatista, em que os jornais pouco aprofundam os assuntos e as reportagens investigativas estão cada vez mais raras, a Caros Amigos apresenta um ponto de vista crítico, sério e atual, atendendo aos deveres do ofício. Não é fácil, tanto economicamente quanto politicamente, trilhar essa caminhada. Mas suas entrevistas são sempre tão necessárias quanto interessantes, trazendo personalidades que, em geral, não têm voz na mídia tradicional. Muitas das reportagens de fôlego que são publicadas por esse veículo evidenciam sua autonomia e comprometimento com a justiça social, fato lamentavelmente escasso no cenário midiático nacional. Não foi à toa que muitas das suas reportagens foram premiadas.
O editor explica ainda que a Caros Amigos foi criada pelo jornalista Sérgio de Souza como um contraponto ao pensamento único, num momento em que a maior parte da imprensa estava empolgada com o neoliberalismo. O fundador juntou na revista dezenas de jornalistas e outros profissionais que se recusaram a parar de pensar criticamente, diz Hamilton de Souza.
“Ao longo desses 14 anos a conjuntura mudou e a postura editorial da revista também passou por mudanças. No momento atual, Caros Amigos procura se afirmar como uma publicação no campo da esquerda que se opõe ao pensamento dominante (o sistema capitalista neoliberal) e com independência em relação aos mercados e aos governos. Resiste bravamente na linha editorial crítica, combativa e de esquerda. Acredito que seja uma das poucas publicações com esse grau de autonomia – o que me parece fundamental para que a sociedade brasileira não seja massacrada pela unanimidade política e ideológica”, conclui Hamilton.

Deixe uma resposta