Buscando


julioA procura por um livro de Julio Cortázar, A volta ao dia em 80 mundos, que realizei entre ontem e hoje pelas duas pequenas bibliotecas da minha casa, propiciou-me alguns momentos bastante agradáveis.

As diversas tentativas me fizeram percorrer as estantes onde se alinham os livros que tenho lido e alguns que ainda não li. José Saramago, Lya Luft, Gita Lazarte, Jorge Luis Borges, Martha Medeiros, Cecília Meirelles, Affonso Romano de Sant´Anna, Machado de Assis, Ramón Pascual Muñoz Soler, José Hernández, José Comblin, Ray Bradbury, o próprio Julio Cortázar.

Enquanto via os livros, vinham lembranças e sentimentos. Cada livro era uma evocação. É uma evocação, ou muitas evocações. Gente, lugares, situações, tempo.

Agora há pouco, ao voltar do supermercado, finalmente encontrei o livro que buscava. A volta ao dia em 80 mundos estava na pequena biblioteca que está no meu quarto. Alegrou-me tê-lo encontrado.

O livro me traz boas recordações. Do amigo que mo presenteou. Do meu pai com quem conversei longamente sobre algumas das frases e posturas de Cortázar ali contidas. Do impacto que este escritor argentino nascido na Bélgica e de uma trajetória tão singular, teve na minha vida.

Deixe uma resposta