A história não oficial

fotoAs versões oriundas do poder e de uma falsa “esquerda”, acerca do alvo preferencial da ditadura militar que assolou a Argentina entre 1976-1983, são totalmente mentirosas e interessadas. O alvo desse massacre foi a população civil, e não as supostas vanguardas revolucionárias, inexistentes.

Lembro neste momento, de algo que não deixa de me indignar.

Refere-se ao genocídio perpetrado na Argentina pela ditadura de 1976-1983, que se apresentou como uma reação contra a ameaça comunista. Obviamente, nunca houve tal ameaça.

Mas o que quero frisar aquí, é que até o dia de hoje, prevalece a imagem de que a ditadura agiu contra setores ideológicamente “de esquerda”, que, obviamente, se apropriaram do papel de heróis.

Nada mais distante da verdade. Segundo o relatório da OPAS-OMS, chamado La salud mental en el mundo, as vítimas da ditadura na Argentina foram na sua maioria pessoas da população civil, sem qualquer vinculação com qualquer organização.

Acredito que esses mortos e desaparecidos, esses torturados, morreram duas vezes. Foram esquecidos.

Deixe uma resposta