A estética do oprimido

ctolivro
O último livro escrito por Augusto Boal, A Estética do Oprimido (veja a capa no anexo), será lançado no dia 29 de setembro, às 19 horas, no Centro de Teatro do Oprimido, no Rio de Janeiro, instituição que Boal criou em 1986 e onde trabalhou nos últimos 23 anos. Em São Paulo, o lançamento acontece no dia 1° de outubro no Teatro de Arena Eugênio Kusnet. O livro, publicado em parceria pela editora Garamond e pela Funarte/MinC, é considerado por muitos como o testamento estético do autor.
O evento de lançamento será produzido pela editora Garamond e pela Funarte, em parceria com o Centro de Teatro do Oprimido, que apresentará a intervenção “Viva Boal!”, com cenas representativas da dramaturgia de Boal, exposição de produtos da Estética do Oprimido, fotos, livros etc.
Fruto de experimentações práticas em laboratórios teatrais no Centro de Teatro do Oprimido, e da sistematização teórica de seminários, A Estética do Oprimido ganhou forma ao longo de oito anos de trabalho de pesquisa coletiva, sendo finalizado pelo autor em janeiro de 2009.
Fundador do Teatro de Arena e precursor do Teatro do Oprimido, Augusto Boal foi um dos principais teatrólogos dos últimos tempos, considerado por muitos tão importante quanto Brecht e Stanislawisk. Pouco antes de falecer, chegou a ser condecorado Embaixador Mundial do Teatro pela Unesco e em 2008 foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz. A obra reflete o engajamento político de Boal. Através da arte, ele propõe uma teoria do pensamento sensível para o uso prático, isto é: como instrumento transformador da realidade. O livro convida todos a apostarem na potência mais radical do pensamento: a potência criadora de realidades possíveis.
Trata-se da sedimentação de mais de 50 anos de prática e reflexão sobre arte, indivíduo e sociedade. Uma visão ideológica ? e inevitavelmente filosófica ? de um artista que soube, como ninguém, conjugar o verbo mudar em todos os tempos e em todas as pessoas. Um obra fundamental para a continuidade e o desenvolvimento das ideias defendidas por Boal no campo da arte, que tem uma marca especialíssima: a coerência política de quem  dedicou sua arte à transformação da vida.
Serviço
Rio de Janeiro – Centro de Teatro do Oprimido: Av. Mem de Sá 31, Lapa/RJ. (21) 2232-5826
São Paulo – Teatro de Arena Eugênio Kusnet: Rua Teodoro Baima 94, Centro. (11) 3256-9463

Deixe uma resposta