Categorias
Cidadania Cultura Educação

Uma “bomba” de sete “terabytes” / História / Imponderável são coisa rara

Uma “bomba” de sete “terabytes” / História / Imponderável são coisa rara

Na História, aporia também conta

Algo escasso, não de todo excluído

De repente se escuta seu zumbido

Irrompendo qual vulcão de grande monta

A mudança de rumo nos aponta

Surpreende quem se esconde na coivara

E, de vez, a verdade desmascara

Faz gemer as elites da “soçaite”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Mesmo quando razões fortes se têm

De se ver transbordar todo limite

Sem que o povo proteste e até se agite

Vez por outra, na história, sobrevém

Fato insólito, esperado por ninguém

Assustando as elites tão avaras

Massa irrompe na rua – alguns com vara

Interrompem os burgueses, suas “nigths”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Quem diria que, há pouco tempo atrás,

Toda aurea de herói em Moro aposta

De repente, riu,virando-lhe as costas

Mesmo quantos sabiam quão capaz

Era Moro o juiz que pane traz

Entregando o país a gente ignara

E, de súbito, um “hacker” desmascara

Capturando na ”nuvem” os seus “sites”

Uma bomba de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Pra provar à justiça, ato raso

Eis que o jovem Delgatti, de Araraquara

Hackeando impostores, desmacara

Que havia sofrido não por acaso

Ao contexto, não defaso

Desmontando a farsa, logo de cara

Libertar-se logrou da escura “night”

Desmontando “lawfare” que Moro armara

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Desde então, “Intercept” deu guarida

Recebendo um volume bem extenso

De conversas que ofendam o bom senso

De quem espera a Justiça que é devida

De agentes da Lei:questão de vida

Tudo quanto se vê na dita Vara

Do conluio Justiça do conluio-mídia cara

Prato horrendo, de gosto nada “diet”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Apesar do que o Globo silencia

Longo tempo, o teor do vazamento

Às injúrias de Moro, desatento

Sair nas redes sociais, seguidos dias

Mesmo a Folha, em suas páginas, noticia

A Justiça, afinal, se opõe à Vara

E Fachin, provocado, enfim aclara

Anulando sentenças nada “lights”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Um dos dramas que este caso esclarece

É o golpe ao Estado de dezoito

Sob a égide dos brutos mais afoitos

A insânia ao País ao fundo desce

Amulando dos justos toda a prece

Deste pleito os vícios escancara

Seu caráter de fraude pondo às claras

E das forças das trevas, a longa “night”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Desgoverno ilegítimo instalado

Pela força de um golpe de Estado

As diversas esferas do País

São entregues às sanhas mais servis

Da Nação degradando a raiz

Qual empresa em falência, a Nação para

Povo pobre é tratado sob vara

E as crises se agravam – contam os “sites”

Uma “bomba”de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Previdência, Trabalho, Ambiente

Desemprego,Indígenas, Quilombolas

A Nação por inteiro se isola

O desmonte é profundo e persistente

Neofascistas,então, mostram seus dentes

Tal horror nada antes escancara

Da linhagem pior é esse “cara”

Exorcista,o povão lhe grita: “vai-te!”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

Provocado por ação do paciente

Bem arguindo os vícios do processo

Atestando de Moro ato incofesso

E do vício formal, abertamente

Reconhece o Ministro competente

Anulando condenas, vis, amaras

Contra Lula, que Moro condenara

Finda o gozo de quem se julga “light”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

A lição que extraímos para nós:

Que sigamos semeando alternativa

Ao modelo vigente, postura altiva

Ante o Estado e o Mercado, deus feroz

Levantemos sem fim a nossa voz

Seja o novo nosso alvo, nossa seara

Reforçando correntes, lutas caras

Combatendo o burguês, as elites da “soçaite”

Uma “bomba” de sete “terabytes”

História/ Imponderável são coisa rara

 

João Pessoa, 14 de março de 2021

Deixe uma resposta