Arquivo da tag: Saúde mental comunitária

Mi naturaleza es mi fortaleza.

¿Cómo no sería feliz si soy, si siento?

Si estoy aquí, no puedo tener miedo

Si estoy conmigo, no puedo tener miedo.

Estoy conmigo

Estoy aquí.

Yo me siento, me da placer

Me da placer caminar, sentir mis ropas sobre el cuerpo

¿Cómo no sería feliz si me siento?

No hay nada de malo en mi manera de ser

Al contrario, esa es mi fortaleza

No podría ser de otra manera ni yo querría que fuera diferente

Siendo así, me siento bien, soy feliz.

Mis sueños, mis deseos, mis reacciones, mis pensamientos, mi manera de caminar, mi voz, todo es perfecto

Mis sensaciones, mi manera de mirar, la manera como me relaciono o dejo de hacerlo, todo es exactamente como debería ser.

Todas estas cosas son observaciones sobre la práctica. Aprendizajes que voy haciendo y comprobando.

Yo no puedo (ni quiero, ¡Dios me libre!) ser no yo. Sólo puedo ser yo. Y ser yo me gusta, me hace sentir bien.

Poetar, hacer lo que se me de la gana, todo está bien. Yo soy dueño de mi tiempo. Todos los instantes son míos.

Estar presente significa no tener rencores, odios, rabias, broncas, frustraciones, ni estar tampoco pendiente de lo que pueda llegar a suceder.

La palabra suceder es bien clara. Es lo que viene. Lo que viene no está ahora. Está por venir.

Por supuesto que hago mis planes. Tengo mis proyectos. No son muchos, pero son suficientes. Son la direción de mi vivir. Es adónde voy. Es lo que soy. No tengo proyectos disociados de mi ser. Soy mis proyectos, mi dirección, mi rumbo.

Son lo que hago. Son lo que soy. Son los sueños que tuve y tengo. No soy algo diferente de lo que fui ni soy.

Ilustración: “Flores después de la lluvia”

Curso de capacitação em Terapia Comunitária Integrativa

O MISC-PB (Movimento Integrado de Saúde Comunitária da Paraíba), filiado à ABRATECOM (Associação Brasileira de Terapia Comunitária Integrativa) está oferecendo o XV curso de capacitação em Terapia Comunitária Integrativa.

Alguns esclarecimentos:
1) O curso ocorrerá na modalidade híbrida (on line e presencial), nas terças e quintas feiras das 19 às 21h,  quinzenalmente. Terá duração de um ano, a começar na segunda quinzena de setembro.
2) Os módulos e as intervisões,  serão online, através da plataforma ZOOM.  Vcs podem baixar gratuitamente no celular ou computador.
3) Os momentos presenciais ocorrerão nas sextas e sábados no horário das 8h as 18h, com intervalo de almoço.
4) Você pode pagar através de depósito bancário na conta poupança disponível, em nome de Maria de Oliveira Ferreira Filha. Temos a opção à vista, ou em 10 parcelas.

5) O valor do investimento será de R$ 1.500,00 (podendo ser parcelado em até 10x) e 1.300, 00 à vista

MISC-PB oferece curso de formação em Terapia Comunitária Integrativa

O Movimento Integrado de Saúde Comunitária da Paraíba (MISC-PB) é o pólo formador em TCI no Estado da Paraíba.

O MISC-PB está oferecendo um curso de formação que iniciará na segunda quinzena de setembro.

Terá duração de 1 ano.

As aulas serão ministradas nas terças e quintas (quinzenalmente), das 19h às 21h.

O valor do investimento será de R$ 1.500,00 (podendo ser parcelado em até 10x) e R$ 1.300, 00 à vista

Dia 13/09 realizaremos um encontro de sensibilização, como um momento de apresentação e, se houver necessidade, tirar algumas dúvidas.

Para maiores informações, ligue para: (83) 99925-8909

Realização: MISC-PB/ABRATECOM (Associação Brasileira de Terapia Comunitária Integrativa)

La Terapia Comunitaria Integrativa como modo de vida

Me levanto terapeuticomunitariamente

Isto é, cantando feliz

Cheguei à roda da vida

Este é o meu espaço de acolhimento, identidade e pertencimento

São as cores e os sentimentos que me recebem

Lilás, roxo, laranja, amarelo, verde, azul

Nasço acalentado e acolhido

Eu estou para mim, somente para mim

A TCI é mais do que rodas, é vida no dia a dia

É todo dia ser feliz, para mim!

Agenda de rodas de Terapia Comunitária Integrativa – Junho de 2022

As rodas de TCI são espaços de escuta em que podemos partilhar o que nos aflige, problemas de desemprego, violência doméstica, etc, como também as nossas vitórias e celebrações.

Estas rodas nos ajudam a nos empoderarmos, a gerar vínculos e aumentar a nossa autoestima.

É uma atividade gratuita.

Veja aqui o calendário de rodas on line para este mês:

AGENDA JUNHO22 TCI ON-LINE ABRATECOM APSBRA MS

Fonte: ABRATECOM – Associação Brasileira de Terapia Comunitária Integrativa

Como sobreviver em situações de autoritarismo?

A pergunta se refere amplamente a situações familiares, comunitárias, organizacionais, etc.

Estamos acostumados, acostumadas, a nos focalizar mais no distante do que no que está perto de nós.

Esta virada da mirada para o que nos diz respeito mais diretamente, nos põe em contato com a nossa história de vida.

O que fiz para sobreviver? O que fizeram outras pessoas?

A reflexão é pertinente porque nos reconduz ao que fizemos e podemos tornar a fazer novamente, caso necessário.

A escuta das vozes plurais que nos rodeiam nos enriquece, ampliando o leque de escolhas.

O sentido destas reflexões é o de trazer luz e esperança no cenário atual brasileiro

O foco da mídia e do paradigma cultural dominante é a domesticação, a obediência, o medo, a desconfiança, a impotência, a paralisia, o fatalismo.

Contrariamente, a nossa ênfase é e continuará a ser sempre a potenciação da experiência superadora.

A construção de vínculos solidários, o reforço da auto-estima, o fortalecimento de sensações e sentimentos de pertencimento.

O nosso fundamento e ponto de partida é que se pode.

Se pode enfrentar vitoriosamente o autoritarismo em qualquer esfera.

Quando falamos em enfrentar, é ver frente a frente, olhar na cara e saber que podemos seguir adiante.

O nosso pressuposto é o caráter constitutivo da pessoa, que a potencia a superar toda circunstância adversa.

A minha própria história de vida, revista nestes anos de pandemia, tão semelhantes a outras situações de confinamento e restrição de movimentos, têm me levado a revalorizar os recursos postos em prática antigamente.

Confiança num amanhã que brilha no meio da escuridão.

Confiança em mim mesmo, nos meus valores superiores, na minha capacidade de estender pontes.

Se pode. Você pode, eu pude, nós podemos.