Arquivo da tag: Plenitude

Consciência, libertação, prática

São palavras muito usadas. Do que se trata, no entanto?

Se trata menos de mudar o mundo

Do que de eu me ter de volta

Eu ser quem sou

Grupos ou multidões dizendo querer mudar o mundo

As estruturas, o que quer que seja

Não necessariamente estão animados por anseios libertadores

Libertação é ser eu quem sou

Isto não se obtém de outra maneira a não ser

Recuperando a própria identidade

Fazendo o próprio lugar

É uma prática o que nos liberta

São ações

Amor é uma ação, não apenas um sentimento ou palavras

É bom lembrar

Paulo Freire, Karl Marx, Agnes Heller, Padre José Comblin

E muitas outras pessoas perto ou longe

São incentivos, provocações

Para um processo que dura a vida toda

Libertar a mente

Desfazer equívocos a nosso respeito

Construir uma realidade em que possamos realizar todas as nossas potencialidades

É uma prática. São ações interligadas.

Nunca é obra de uma ou muitas elites ou vanguardas

É gente em movimento.

Volta a vida

Um espaço como este

Onde posso vir sem vestir uma farda, não importa qual

Chegar assim como estou, sem qualquer concessão

A não ser aquelas que nascem

De uma vida que de novo se atreve à luz do dia

Sem medo, sem ódio, sem culpas, sem raiva, sem rancor, sem ressentimento

Concessões são então portas e portões

Janelas e pontes

A luz volta a entrar e a brilhar o sol.

Imagem: “O tecido do universo”

Como não me sentiria feliz, se sinto?

Sinto o meu corpo

Sinto o prazer de respirar e fazer parte de uma família

Sinto o alívio de ver se afastando o medo e o terror

Sinto o prazer de me sentir, e não apenas me usar para fazer isto ou aquilo

Muitas pessoas não sabem o que fazer com os seus sentimentos

Sinto a minha história

Passo a passo vou andando

Assim foi como cheguei até aqui

Não foi aos solavancos

Sentir é o meu forte

Me espero e espero

Sinto a vida nova nascendo a cada instante

Ano novo é agora

Natal é agora.

Não preciso reagir de imediato, nem falar sem saber o que estou a dizer, nem fazer mais do que posso

Posso me respeitar, e me respeito.

Esta revista quer ser

Uma tentação

Um convite

Uma possibilidade

Um espaço de encontro

Esta revista quer ser tudo isto

E mais algumas coisas

Não te esqueças que és o mais importante

Estarmos vivos, vivas

O mais é lembrar que precisamos uns dos outros, umas das outras

Já dizia o velho sábio Durkheim

É a diferença que cria solidariedade

O conhecimento nos aproxima

O preconceito nos distancia e opõe

Águas somos

Poesia é a vida

Num instante sai o sol

Vêm a lua

Demo-nos as mãos

Caminhemos juntos, juntas

Assim se faz uma vida feliz

Plena

Ativa

Criativa.