Arquivo da tag: Pertencimento

Consciência, libertação, prática

São palavras muito usadas. Do que se trata, no entanto?

Se trata menos de mudar o mundo

Do que de eu me ter de volta

Eu ser quem sou

Grupos ou multidões dizendo querer mudar o mundo

As estruturas, o que quer que seja

Não necessariamente estão animados por anseios libertadores

Libertação é ser eu quem sou

Isto não se obtém de outra maneira a não ser

Recuperando a própria identidade

Fazendo o próprio lugar

É uma prática o que nos liberta

São ações

Amor é uma ação, não apenas um sentimento ou palavras

É bom lembrar

Paulo Freire, Karl Marx, Agnes Heller, Padre José Comblin

E muitas outras pessoas perto ou longe

São incentivos, provocações

Para um processo que dura a vida toda

Libertar a mente

Desfazer equívocos a nosso respeito

Construir uma realidade em que possamos realizar todas as nossas potencialidades

É uma prática. São ações interligadas.

Nunca é obra de uma ou muitas elites ou vanguardas

É gente em movimento.

El poema que soy

Lo vivo andando

Lo hice yo y lo anido ahora

Es lo que hago y por donde ando.

 

Andando hoy por la peatonal de Cabo Branco me vino esto

Los cuentos que cuento

Que fui contando para mí y compartiendo

Me anidan, me acogen, me guardan.

La belleza que veo me anima

Son formas que me alegran.

Luna mar

45 años atrás, un 8/12, llegaba yo a Brasil.

Contemplação

Esta tarde ao chegar à beira-mar

A beleza de uma mulher

Modelada moldada

Sorridente

Teve a virtude de me alegrar

Afastou-se e atravessou a avenida

E eu fiquei animado

Contente

Assim vou fazendo o meu enraizamento no bairro

Estes momentos de contemplação ficam fixos no tempo

É por estes caminhos que eu ando

Caminhos de amor e de luz.

Colores y letras

Atención a los colores

Amarillo

Ayer celebré le fecha de mi entrada en Brasil

Ipés amarillos florecidos del lado de acá de la frontera

La primavera proseguiría

Ahora esta mañana

Arcoiris en la calle

Entré en él

Pasé por él

Atención a las letras

Alegría

Amarillo es sol

Acacia florecida

Y otra florcita que encontramos al llegar a Carapibus

¿Sandía? ¿Zapallo?

Sigue el juego

Amarillo es confianza

Es trabajo

Es seguridad.

(09-12-2022)

Em mim

A delinquência no poder é sempre lamentável.

Ainda bem que o eleitorado brasileiro decidiu voltar para a democracia.

A ignorância é sempre lamentável.

Ignorante não tem pior do que aquele que acha que sabe de tudo.

Saber o que ignoro, é algo que preciso aprender constantemente

O presente é passado consolidado

É uma reunião de tempo

A menos que eu esteja atento

Poderei estar perdendo o único tempo que tenho

Habitar os limites

Esta é a tarefa que me toca

Ninguém gosta de limites

Mas sem limites hão há humanidade

Teremos aprendido a lição?

Na idade que tenho

Habitar os limites é uma aventura cotidiana

Redescobrir o que posso e o que não posso

Não para me fechar numa auto-lamentação

Mas, ao contrário

Para potenciar ao máximo o fato de estar vivo

A minha história me abraça e me envolve

Me enraizei no tempo e no espaço

Em mim.

Venho à poesia e à literatura

Uma e outra vez

Como as ondas do mar

Recorrentemente como o sol e as estrelas

Venho à poesia e à literatura

Volto à beleza e à cor

Me alimento do que é eterno

Recarrego as minhas baterias

Nesse manancial contíguo e interno

Ali me nutro, me aquieto, me fortaleço.

Não apenas percorro novamente

Incessantemente

O lugar a que pertenço

Sumo nessas paragens

Me interno nessas paisagens

Tenho o meu ser profundo de volta

Inteiro e integrado

Invencível e imóvel

No meio às flutuações do tempo.

Aquilo que não me pertence, desaparece

Se desvanece o que não é meu.

E fica apenas o meu ser inteiro

Contínuo e fugaz

Eterno e invencível

Na terra sem tempo

A que pertenço.

Aqui resplandeço

Apareço

Me enraízo e me tranquilizo.

Não preciso carregar o mundo nas costas

Descanso

Me trato melhor.

Meu lado maior está aqui

Ou tende a vir para cá.