Categorias
Opinião

Cartazes servem como chibatas morais para fustigar-se o Shibata

No final de junho de 1970 tive meu tímpano estourado pelo cabo Marco Antônio Povorelli, um torturador da PE da Vila Militar (RJ) que era judoca e pesava uns 140 quilos. O médico do quartel me deu um remedinho para pingar, mais nada.   Sangue e pus escorriam da minha orelha direita, a ponto de […]

Sair da versão mobile