Categorias
Opinião

Exército na Maré: o Brasil pré-Copa

Exército na Maré, complexo de favelas do Rio de Janeiro: esse incidente, pelo que chequei, aconteceu no local conhecido como Campo da Paty, na Nova Holanda. O notável despreparo do Exército ocupando ruas na favela carioca vem acompanhado do total descaso em relação aos serviços sociais. Bem-vind@ ao país da Copa. Publicação by Julio Cesar. […]

Categorias
Brasil LGBTI

Tortura e homofobia no Exército Brasileiro: Para separar casal gay, General Ademar da Costa afirmou: ‘Que saudade dos velhos tempos’

Sargento que assumiu relacionamento homossexual e chegou a ser preso afirmou em reportagem do SBT, exibida este mês, que foi torturado. Em entrevista exibida na quarta-feira (18/1), Laci Marinho de Araújo e o parceiro Fernando de Alcântara dizem que são vítimas de preconceito e homofobia no Exército e apresentam graves e contundentes provas.

Categorias
Opinião

Tortura e homofobia no Exército Brasileiro: Para separar casal gay, General Ademar da Costa afirmou: ‘Que saudade dos velhos tempos’

Sargento que assumiu relacionamento homossexual e chegou a ser preso afirmou em reportagem do SBT, exibida este mês, que foi torturado. Em entrevista exibida na quarta-feira (18/1), Laci Marinho de Araújo e o parceiro Fernando de Alcântara dizem que são vítimas de preconceito e homofobia no Exército e apresentam graves e contundentes provas. Em uma […]

Categorias
Cidades Direitos Humanos Opinião Rio de Janeiro

“Vitória sobre a morte!”

“[…] Nós, os homens das Forças Especiais Reconhecemos a nossa dependência no Senhor Na preservação da liberdade humana; Estejais conosco, quando procuramos defender os indefesos e libertar os escravizados! Possamos sempre lembrar, que nossa nação, cujo lema é: ‘Ordem e Progresso’, Espera que cumpramos com nosso dever, Por nós próprios, com honra, E que nunca […]

Categorias
Brasil Memória & Consciência

A longa despedida da ditadura

O Brasil precisa se livrar da ditadura militar, mas não antes de dissecá-la e neutralizar-lhe as sementes. Os militares de hoje não podem ser obrigados a defender gente como o coronel Brilhante Ustra, o carniceiro do DOI-CODI de São Paulo, nem o capitão Wilson Machado, vítima mutilada pela própria bomba que pretendia explodir, em 1º de maio de 1981, durante um show de música no Riocentro, onde milhares de pessoas comemoravam o Dia do Trabalho. Um Exército que dá guarida e, pior, se orgulha de gente assim não precisa de mais armamento. Precisa de ar puro. O artigo é de Leandro Fortes.