Arquivo da tag: Ação

Consciência, libertação, prática

São palavras muito usadas. Do que se trata, no entanto?

Se trata menos de mudar o mundo

Do que de eu me ter de volta

Eu ser quem sou

Grupos ou multidões dizendo querer mudar o mundo

As estruturas, o que quer que seja

Não necessariamente estão animados por anseios libertadores

Libertação é ser eu quem sou

Isto não se obtém de outra maneira a não ser

Recuperando a própria identidade

Fazendo o próprio lugar

É uma prática o que nos liberta

São ações

Amor é uma ação, não apenas um sentimento ou palavras

É bom lembrar

Paulo Freire, Karl Marx, Agnes Heller, Padre José Comblin

E muitas outras pessoas perto ou longe

São incentivos, provocações

Para um processo que dura a vida toda

Libertar a mente

Desfazer equívocos a nosso respeito

Construir uma realidade em que possamos realizar todas as nossas potencialidades

É uma prática. São ações interligadas.

Nunca é obra de uma ou muitas elites ou vanguardas

É gente em movimento.

Valores de consciência

Ter um espaço de comunicação disponível é um privilégio

Poder dizer não apenas o que se pensa mas o que se sente

Sentir que a vida volta a ser prioridade neste país

Saber que a educação, a arte e a cultura

Arte e consciência

Leitura e pesquisa

Estudo e trabalho

São pilares da sociedade

Pilares da comunidade

Pilares da família

Pilares da pessoa

Valores inegociáveis

Valores superiores são a vida

A saúde

A humanidade.

Honrar este espaço, quase já 23 anos depois

É celebrar a vida duplamente.

É da mística que se nutre o militante. Energia vital de sua ação

Militante consciente não põe fora

A criança com água na bacia

 

Verdadeira República pressupõe

Que seus bens se repartam, com justiça

 

Militantes se movem pela Mìstica

Que os une, na ação transformadora

 

Decisiva energia subversiva

A nutrir militantes de raiz

 

Quais os frutos marcantes desta Mística?

Elencamos alguns, ilustrativos

 

Mantém firme e aceso o militante

Consequente e fiel ao compromisso

 

Cavoucando a memória, o fortalece

Colhe forças das lutas do passado

 

Organiza agenda, dia a dia

Em função de tarefas de mudança

 

Formação passa a ser prioridade

A memória a crítica e o compromisso

 

Outro fruto da Mística se revela

Na ação solidária com os “de baixo”

 

Militantes se indignam bravamente

Combatendo a opressão de qualquer tipo

 

Despertando nos pobres a consciência

Do papel que é seu, de resistirem

 

Vem da Mística, também um forte apelo

A fazer-se a leitura do real

 

A leitura bem feita induz à ação

Por mudança geral e da pessoa

 

Emergência climática prioriza

Combater capital, fator maior

 

“Tem pra todos”?, pergunta o militante

Recusando ceder a privilégios

 

Se o SUS é conquista coletiva

A saúde privada é contra-senso

 

Se transporte coletivo é ecológico

Opção militante é o coletivo

 

Ao lutar pelos pobres do País

Tal combate o estende a todo o mundo

 

Sua arma da crítica é contundente

Dia a dia, ele usa desde si

 

Democrata República não se faz

Sob a égide do vil Capitalismo

 

É nos útil também saber os frutos

Da ausência da Mística em nossas lutas

 

Um primeiro é o desprezo pela Ética:

Nos tornam relapsos com os valores

 

O discurso passa a ser a própria “essência”

Relaxamos com a prática, mais e mais

 

João Pessoa, 6 de dezembro de 2022

Em mim

A delinquência no poder é sempre lamentável.

Ainda bem que o eleitorado brasileiro decidiu voltar para a democracia.

A ignorância é sempre lamentável.

Ignorante não tem pior do que aquele que acha que sabe de tudo.

Saber o que ignoro, é algo que preciso aprender constantemente

O presente é passado consolidado

É uma reunião de tempo

A menos que eu esteja atento

Poderei estar perdendo o único tempo que tenho

Habitar os limites

Esta é a tarefa que me toca

Ninguém gosta de limites

Mas sem limites hão há humanidade

Teremos aprendido a lição?

Na idade que tenho

Habitar os limites é uma aventura cotidiana

Redescobrir o que posso e o que não posso

Não para me fechar numa auto-lamentação

Mas, ao contrário

Para potenciar ao máximo o fato de estar vivo

A minha história me abraça e me envolve

Me enraizei no tempo e no espaço

Em mim.

Como não me sentiria feliz, se sinto?

Sinto o meu corpo

Sinto o prazer de respirar e fazer parte de uma família

Sinto o alívio de ver se afastando o medo e o terror

Sinto o prazer de me sentir, e não apenas me usar para fazer isto ou aquilo

Muitas pessoas não sabem o que fazer com os seus sentimentos

Sinto a minha história

Passo a passo vou andando

Assim foi como cheguei até aqui

Não foi aos solavancos

Sentir é o meu forte

Me espero e espero

Sinto a vida nova nascendo a cada instante

Ano novo é agora

Natal é agora.

Não preciso reagir de imediato, nem falar sem saber o que estou a dizer, nem fazer mais do que posso

Posso me respeitar, e me respeito.

Poesia é o lugar da vida

É o que somos e o que é

É o que será e sempre foi

É o que permanece e amanhece

É o que nos sustenta em todo tempo

E o que nos alimenta enquanto é tempo

E o que nos orienta a toda hora

O que nos chama na aurora

Mais além de rimas

É a rima que nos arrima

O rio que nos leva ao mar

O mar que nos acolhe

O sol que nos ilumina

A esperança que floresce

A primavera que permanece

A flor que sou e és e é tudo que existe e é belo

A unidade por trás da diversidade

A pluralidade que nos espelha

É ela que nos acompanha

E o pai que foi e é amigo

O amigo que nos aceita como somos

As crianças que trazem a vida de volta

Montanha e mar

Tudo isto e mais

Na exata medida de todas as coisas

É o que é poesia.