Arquivo da categoria: Rio de Janeiro

RJ cria primeiro centro de acolhimento e cidadania para imigrantes na cidade

A partir deste sábado (7), os imigrantes que escolherem o Rio de Janeiro como lar passarão a contar com um centro de acolhimento e cidadania, o Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes (Crai), localizado na Gamboa, região central da cidade. 

O local foi criado a partir de uma parceria da Prefeitura do Rio com a Community Organised Relief Effort (Core), uma organização sem fins lucrativos fundada pelos atores hollywoodianos Sean Penn e Ann Lee para atuar em diversos países e populações em situação de vulnerabilidade.

Leia também: Papo na Laje: “Ser tratado diferente pelo tom da sua cor choca”, dizem imigrantes africanos

A nova casa funcionará em um espaço cedido pela prefeitura, no segundo andar do Mercado Popular Leonel de Moura Brizola, prédio do município na rua Bento Ribeiro 86, perto da Central do Brasil. Coube à Core reformar e adaptar as salas para o Crai.

O centro, primeiro voltado a imigrantes na cidade, tem por objetivo oferecer abrigo temporário, assistência social e jurídica.

Atualmente, a Prefeitura do Rio de Janeiro não sabe quantos imigrantes moram na cidade, como vivem e de onde vieram. Uma das principais dificuldades encontrada pelos imigrantes é explicada em parte pela falta de documentos, como um CPF, que causa limitações para direitos trabalhistas e até mesmo para atendimento no SUS.

O Crai vai funcionar de segunda-feira das 9h às 18h e, no sábado, das 9h às 15h.

Fonte: Brasil de Fato Rio de Janeiro

Edição: Mariana Pitasse

Lula: nenhum governo fez pelo Rio mais do que as gestões petistas

Em encontro no Rio de Janeiro na manhã desta sexta-feira (26/08), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou a importância do Rio de Janeiro para o imaginário de todos os brasileiros. Ele disse que a cidade é uma espécie de parente próximo quando algum brasileiro está fora do Brasil e quer se lembrar de onde é.

“Pouca gente tem a compreensão do significado do Rio de Janeiro. O Rio de Janeiro é aquela coisa boa para todos nós. Quando a gente está perdido, fora do Brasil, a gente lembra do Rio de Janeiro para mostrar de onde a gente é. O Rio de Janeiro é um parente mais próximo quando a gente está fora do Brasil”, disse.

LEIA MAIS: Podcast do Lula reúne melhores momentos da entrevista ao JN

Ao lado do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, da presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e dos candidatos ao governo do Rio Marcelo Freixo e ao Senado Marcelo Ceciliano, Lula lembrou do legado dos governos petistas e disse que nenhum governo fez pelo Rio de Janeiro mais e pelo Estado do que as gestões dele e de Dilma Rousseff.

“Não tem um bairro do Rio de Janeiro que você ande que não tenha um conjunto habitacional. Um bairro que não tenha uma obra de saneamento básico. Não tem um lugar que você ande que não encontre um metalúrgico que trabalhou num estaleiro que nós fizemos voltar a funcionar”, destacou.

LEIA MAIS: Lula no JN é o tema mais comentado do mundo e repercute na mídia estrangeira

Legado

Pelo programa Minha Casa, Minha Vida, foram destinados cerca de R$ 16 bilhões, entre subsídios federais e financiamentos. Foram entregues mais de 106 mil moradias.

Em mobilidade urbana foram R$ 26,1 bilhões entre obras de metrô, VLT, BRT e outras intervenções, em cidades como Campos, Duque de Caxias, Niterói e Petrópolis, além da capital. Do total de recursos, R$ 16,1 bilhões de investimentos federais e R$ 10 bilhões em contrapartida.

Na educação, cinco novos campi de universidades federais, 22 novas escolas técnicas 467 ônibus escolares, dos quais 352 em áreas rurais, mais de 117 mil alunos beneficiados pelo Prouni, outros mais de 138 mil pelo FIES e quase meio milhão de matrículas realizadas pelo Pronatec.

Além disso, o Bolsa Família atendeu a mais de 811 mil famílias e o luz para todos alcançou 22.246. Em saúde, foram 70 UPAS implantadas, 282 postos de saúde reformados e 129 construídos. Mais de 3,3 milhões de pessoas foram beneficiadas por medicamentos gratuitos e o Mais Médicos levou 732 profissionais a 75 municípios. Pelo Samu, foram 134 ambulâncias básicas e 45 UTIs móveis, cobrindo 60 municípios com sete centrais de regulação.

Fonte: PT

(26/08/2022)

Lula na Cinelândia: “O Rio de Janeiro é muito importante para o Brasil”

Em discurso histórico numa Cinelândia lotada, Lula diz que o Rio “não pode aparecer apenas por conta da violência” e defende a volta de um Brasil mais humanizado

Lula foi recebido, na noite desta quinta-feira (7), no Rio de Janeiro, por dezenas de milhares de pessoas, que lotaram a Cinelândia, palco das maiores manifestações populares da história da cidade. Emocionado ao se lembrar das lições da mãe e entusiasmado com a enorme quantidade de pessoas reunidas, o ex-presidente disse ter vontade de governar o Brasil para cuidar dos cariocas e de todos os brasileiros.

“Eu duvido que o estado do Rio de Janeiro tenha recebido em toda a sua história, de qualquer presidente da República, a quantidade de recursos que o PT botou neste estado. E por que nós fizemos isso? Porque o Rio de Janeiro é muito importante para o Brasil, e o Rio de Janeiro não pode ficar aparecendo nas bancas de jornais apenas por conta da violência, apenas por conta das balas perdidas, apenas por conta da morte de filhas, de irmãos, de pais de gente pobre”, discursou.

Segundo Lula, a violência tem várias razões, mas uma das principais é a ausência do Estado. “Se o povo tivesse emprego, se tivesse escola de qualidade, se tivesse saúde de qualidade, se tivesse área de lazer, se tivesse cultura, se tivesse água boa, tratamento de esgoto, não teria metade da violência que tem no Rio de Janeiro”, acrescentou (veja a íntegra do ato no fim desta matéria).

 

Governar com o coração

O ex-presidente ressaltou que a diferença entre o seu governo e o de Jair Bolsonaro é justamente a crença de que o Brasil pode ser grande se o Estado acreditar e apoiar a população, fazendo investimentos. Foi assim que, no governo Lula, a Petrobras descobriu o pré-sal e a indústria naval multiplicou por mais de 20 os postos de trabalho.

“Agora, pergunte quanto esse genocida que está governando investiu no Rio de Janeiro. Pergunte qual foi a grande obra que ele fez. Qual foi a escola técnica, a universidade que ele fez? Qual foi o dinheiro para a saúde que ele colocou? Nada, nada, nada. Só quer tirar”, criticou Lula, referindo-se à insistência de Bolsonaro em privatizar o patrimônio nacional.

“Este país está precisando voltar a ser humanizado. Nós precisamos voltar a ser humanistas outra vez”, prosseguiu. “Quando eu era presidente, eu dizia: ‘A gente precisa pensar com o coração’. Este país, o cara não tem que governar, tem que cuidar. E cuidar de quem? De quem mais precisa”, completou.

E, segundo Lula, não é o rico ou a classe média alta que precisam do governo. “É o povo trabalhador, é o pequeno e médio produtor rural, são as pessoas quem moram nas favelas e nas periferias, são os micro e pequenos empreendedores, são as pequenas cooperativas que precisam do Estado. É para esses que nós temos que governar. Se não, a gente não vai tirar o país da desgraça em que eles meteram.”

Vista aérea do ato na Cinelândia. Foto: Ricardo Stuckert

Alckmin: Lula é esperança

O ex-governador Geraldo Alckmin iniciou sua fala fazendo referência à multidão que lotava a Cinelândia. “Quando eu vejo aqui essa grande manifestação na Cinelândia, eu entendo por que que o Bozo está com medo da urna eletrônica. É porque ele está com medo do voto do povo”, disse.

Alckmin contou que, ao percorrer o Brasil ao lado de Lula, tem notado como os brasileiros veem na volta do ex-metalúrgico a esperança de uma vida melhor. E o mesmo acontece no Rio de Janeiro. “O Rio está com saudade. Indústria naval, indústria petroquímica, Comperj, moradia, Minha Casa Minha Vida, saúde, emprego, salário mínimo valorizado, juventude com oportunidade”, enumerou, referindo-se ao governo Lula.

“O Rio ama Lula”, diz Ceciliano

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, André Ceciliano, pré-candidato do PT ao Senado, começou seu discurso dizendo que a Cinelândia estava lotada porque o povo do Rio ama Lula.

“A favela ama o senhor. Eles querem que você continue a fazer os complexos esportivos, as bibliotecas-parques e as milhares de casas que o senhor construiu na Rocinha, em Manguinhos e no Complexo do Alemão. Nós queremos que o senhor retome o complexo petroquímico porque o que estão fazendo ali é uma covardia”, afirmou.

LEIA MAIS: Veja e divulgue o legado dos governos Lula e Dilma na cidade do Rio de Janeiro

LEIA MAIS: Veja e divulgue o legado dos governos Lula e Dilma no estado do Rio de Janeiro

Ceciliano lembrou ainda que Lula foi o presidente que mais gerou empregos, e o Rio precisa de empregos. “Quando os senhor foi eleito, a indústria naval tinha 3 mil empregos. Uma década depois, tínhamos mais de 80 mil empregos. E o Rio de Janeiro precisa de emprego, precisa de desenvolvimento social e econômico. O Rio de Janeiro precisa voltar a sorrir. E o senhor ama o Rio, nós temos certeza.”

Freixo: segurança e oportunidade para a juventude

Pré-candidato ao governo do Rio, o deputado federal Marcelo Freixo (PSB)discursou um pouco antes de receber apoio público de Lula. Freixo disse que deseja comandar o estado para que cada menino e cada menina do estado tenha oportunidade de estudo e trabalho e não seja presa fácil do crime.

“O Rio de Janeiro tem 3 milhões de pessoas passando fome, e o Rio tem 80% do petróleo nacional. Isso é porque a gente é governado por uma máfia, por um grupo de criminosos que está aqui há muito tempo e tem que ser afastado do poder”, analisou Freixo.

O deputado também defendeu uma política de segurança que não criminalize a periferia. ”A gente precisa dizer que em cada favela, em cada território, matança não vai ser segurança. A gente vai ter polícia sim, a gente precisa da polícia sim, mas de uma polícia treinada, integrada, modernizada, com equipamento e inteligência e que proteja a nossa juventude, principalmente a juventude preta, a juventude pobre e a juventude da periferia.”

Gleisi: “Vamos retomar o Brasil para os brasileiros”

A presidenta nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), pediu que todos os presentes se organizem, montem comitês populares de luta e se empenhem para rebater as fake news bolsonaristas. “Nós vamos vencer Bolsonaro sim, vamos retomar o Brasil para o povo brasileiro, e vamos fazer isso com esse movimento amplo de que precisamos, juntando todos aqueles que querem vencer o fascismo e a barbárie”, garantiu.

“O que nós temos de resultado do governo de Bolsonaro são mais de 600 mil mortes por Covid, são 33 milhões de pessoas de novo com a fome, 60 milhões de pessoas com insegurança alimentar. É a carestia dos alimentos, o preço do combustível, o desmatamento na Amazônia, a liberação de armas, o ódio que ele destila contra todos aqueles a que ele se opões. O ódio contra as mulheres, contra negros e negras, contra a população LGBT, contra a população indígena”, completou Gleisi.

Também discursaram o presidente nacional do Psol, Juliano Medeiros, e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AC).

Fonte: PT

(07/07/2022)

MST e coletivos de favela realizam encontro para fortalecer Comitês Populares no RJ

Por Jaqueline Deister

Ao todo, 40 representantes de favelas da cidade do Rio e Baixada Fluminense participaram do evento

Nesta quarta-feira (15), o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) participou de um encontro, na sede do Instituto Raízes em Movimento, no Complexo do Alemão, localizado na zona norte da capital fluminense, com coletivos de favelas do Rio de Janeiro com o objetivo de fortalecer a articulação dos Comitês Populares de Favelas do estado.

Ao todo, 40 representantes de favelas da cidade do Rio e Baixada Fluminense estavam presentes, além de lideranças de movimentos populares como o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile.

Na avaliação de Stédile, o encontro foi muito produtivo, principalmente pela troca de experiências e a aproximação na relação campo-favela.

“Percebi que eles têm as soluções, sabem o que fazer para melhorar a condição de vida do nosso povo e eles terão um papel fundamental no próximo governo para contribuir com as políticas públicas para resolver o problema da população que vive em favelas de todo o Brasil. Para nós, do MST, foi importante porque fizemos uma celebração da convocatória da plenária campo-favela para discutirmos trocas de experiência, formas de trazer alimentos saudáveis para as favelas, como fazer solidariedade entre as nossas lutas e também envolver a favela no plantio de árvores”, disse o líder do MST.

Alan Brum, coordenador do Instituto Raízes em Movimento, também avaliou positivamente a atividade no Complexo do Alemão.

“O encontro é um marco para a relação campo-cidade e entendo que dessa forma teremos maior capacidade de produzir pautas prioritárias e conseguir maior capacidade de incidência política a partir das eleições deste ano”, afirmou.

De acordo com os organizadores do evento, o objetivo dos Comitês Populares de Favelas é construir uma força social junto ao povo para assegurar a eleição de Lula à Presidência da República e o comprometimento do pré-candidato com um pacote de mudanças estruturais para a população periférica. Entre os principais pedidos da frente está o fim das violações de direitos humanos nas favelas.

O encontro de hoje encaminhou a realização de uma plenária com os moradores de favelas para mobilizar a construção dos comitês pelas mais de mil favelas do estado, a elaboração de uma carta com demandas para Lula e a criação de um fórum permanente de trabalho campo-favela.

O lançamento oficial do Comitê Popular de Favelas no Complexo do Alemão será realizado no dia 24 de junho.
Edição: Eduardo Miranda

Fonte: Brasil de Fato

(16/06/2022)

Volta Redonda: projeto ‘Terapia Comunitária On-line’ é premiado e será referência para o restante do país

Programa municipal foi selecionado para ser apresentado na 2ª Mostra Estadual de Práticas de Saúde

A Terapia Comunitária On-line, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foi premiada pelo Cosems-RJ (Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Rio de Janeiro). O anúncio foi feito na terça-feira (19). O projeto foi selecionado para ser apresentado na 2ª Mostra Estadual de Práticas de Saúde Cosems-RJ e IdeiaSUS/Fiocruz. O evento será realizado no dia 28, de forma virtual, no canal do YouTube do Cosems-RJ.

Além disso, ao ser selecionada, a terapia conquistou a chance de ser contemplada pela Curadoria do IdeiaSUS, ou seja, contará com acompanhamento das práticas por um período de 12 meses.

Umas das idealizadoras do projeto, a médica de família da Secretaria Municipal de Saúde, Silvia Mello dos Santos, destacou que a iniciativa surgiu no ano passado com a ideia de oferecer, de forma gratuita, uma rede de amparo emocional a qualquer pessoa, mas principalmente a quem perdeu algum amigo ou familiar para a Covid-19.
– A terapia comunitária surgiu para promover um espaço de acolhimento, de partilha, de cuidado, com formação de vínculos solidários. Para se falar das dores e das potencialidades das pessoas. Valorizando o indivíduo e o empoderamento pessoal, a gente consegue fortalecer a nossa população – disse, garantindo que a prática em Volta Redonda é um exemplo para que outros municípios sigam essa experiência.

– O que torna este projeto mais inovador é o uso da tecnologia, além da participação de várias secretarias. A própria Secretaria de Saúde, o Departamento de Tecnologia de Informação, a EPD (Empresa de Processamento de Dados) e a Secretaria de Comunicação. Por isso que deu certo – acrescentou Silvia.

A secretária de Saúde de Volta Redonda, Maria da Conceição de Souza Rocha, lembrou que as maiores causas de adoecimento do ser humano não estão relacionadas exclusivamente as questões físicas, e frisou que uma gestão que acredita no SUS entende que novas tecnologias de cuidados ampliados precisam ser desenvolvidas.

– A terapia comunitária integrativa trabalha a saúde de forma integral e contribui imensamente para o enfrentamento dessas questões. A possibilidade de proporcionar essa tecnologia de cuidado é um grande avanço para a Saúde de Volta Redonda, este segundo lugar é muito merecido, pois foi um projeto inovador, já que possibilita o acesso a qualquer pessoa, garantindo o direito à saúde de forma universal – disse.

O objetivo da 2ª Mostra Estadual de Práticas de Saúde é proporcionar o intercâmbio de práticas dos municípios implementadas no SUS, estimular, fortalecer e divulgar as ações das cidades que inovam nas soluções em busca da garantia do direito à saúde. Também visa dar visibilidade às práticas de saúde em relação à gestão local, de acordo com a realidade dos territórios, além de promover um espaço para a troca de práticas e reflexões sobre a gestão e organização de serviços de saúde.

– Sabemos que ainda temos muito o que fazer para ter novamente a Saúde que a população espera, mas estamos no caminho certo e essa premiação é mais uma prova disso. Parabéns a toda nossa equipe, que está reconstruindo nossa saúde – destacou o prefeito Antonio Francisco Neto.

Fonte: Diario do Vale

(20/04/2022)