Categorias
Brasil Cidadania

Requião, ao filiar-se ao PT: “Talvez essa seja a batalha das nossas vidas”

Festa reuniu mais de 3 mil pessoas em Curitiba com Lula, Gleisi Hoffmann e lideranças do partido. “Não há outra saída, Lula é a salvação do país, em um movimento de redenção do Brasil”, conclamou Requião

Em uma emocionante festa democrática, o Partido dos Trabalhadores formalizou a filiação do ex-governador do Paraná e senador Roberto Requião na noite desta sexta-feira (18), em Curitiba (PR). O evento histórico no pavilhão da Expo Unimed reuniu mais de 3 mil pessoas e contou com a presença do ex-presidente Lula e da presidenta Nacional do PT, além de representantes dos movimentos populares, lideranças sindicais e de partidos de oposição como PSOL, PC do B, PDT e PV, governadores, senadores, deputados federais e estaduais e vereadores.

“Tenho convivido com a militância do PT há algum tempo”, discursou Roberto Requião. “Hoje, depois de uma reflexão profunda, a convite do Lula e da Gleisi, assino minha ficha de filiação”,  anunciou o ex-governador do Paraná.

Requião destacou que sua candidatura ao governo do estado integra a formação de uma frente ampla para varrer o obscurantismo de extrema direita e devolver a soberania ao país, com Lula na Presidência. “Talvez essa seja a batalha das nossas vidas”, sentenciou Requião. “Não há outra saída, Lula é a salvação do país, em uma frente política, um movimento de redenção do Brasil”.

”Integro-me hoje ao Partido dos Trabalhadores, escravo dos mesmos compromissos com que, lá no final dos anos 70, filiei-me ao Movimento Democrático Brasileiro. Faço aqui uma renovação de votos, reafirmando minha fidelidade ao povo brasileiro e ao meu país”, declarou Requião.

“Agora, nos agrupamos, com foco na libertação do país de um governo que aniquila vorazmente a soberania nacional e suprime o direito dos trabalhadores”, conclamou o líder paranaense. “Eu acredito no Lula porque sei que ele sabe fazer, eu o vi fazendo. Nenhum outro dos que se apresentam tem a capacidade de fazer como ele”.

Lula

Em depoimento emocionado na cidade onde ficou preso por 580 dias, Lula lembrou da importância de voltar para Curitiba onde a Vigília Lula Livre o acompanhou durante todo o período em que esteve encarcerado injustamente. “Hoje vivi talvez o dia mais emocionante da minha vida, porque é a primeira vez que retorno para me encontrar com companheiros da vigília”, testemunhou Lula. “Por isso, nunca aceitei que o Paraná seja considerado um estado conservador”, disse.

Lula reforçou a necessidade urgente de o país recuperar sua soberania para tornar-se desenvolvido novamente. “Precisamos ter consciência da quantidade de vezes que nós somos enganados, da quantidade de vezes que a elite escravista desse país consegue colocar na cabeça do nosso povo mais humilde que o Estado não presta, que a única coisa boa é a iniciativa privada”, lamentou Lula.

“Não acredito em Estado fraco, quero Estado forte, não empresarial, mas indutor do desenvolvimento, um Estado que não gaste todos os seus recursos para pagar juros ao sistema financeiro, mas que garanta, numa crise como essa, que não falte comida, emprego e remédio para o nosso povo”, afirmou.

Solução está no povo pobre

“A solução desse país está no povo pobre, no fato de que temos de colocar o povo no orçamento da prefeitura, do estado e da União, e colocar os ricos no imposto de renda”, insistiu Lula. “No nosso governo, o Brasil era respeitado por EUA, Argentina, Bolívia, Rússia, China, Alemanha, não era um pária como é hoje, governado por um psicopata que não sabe governar”.

“Companheiro Requião, você não tem dimensão da alegria que é a realização de um sonho, você entrar no PT. Você provou, no seu discurso, que não são os cabelos brancos que tornam uma pessoa velha. O que torna uma pessoa velha é uma pessoa que não ama, que não gosta do seu semelhante, que não pratica a solidariedade”, bradou o ex-presidente.   

“Se passaram seis anos do golpe contra a Dilma e como é que está o Brasil? Quanto está o quilo do arroz, do feijão, da carne, o litro de gasolina, de óleo diesel?”, questionou Lula. “Querem acabar com o Prouni, o maior programa já feito para pessoas pobres nesse país, estão acabado com o Fies. Que país é esse?”.

Esse país é o terceiro produtor de alimentos do mundo, não podemos conceber a ideia de que 19 milhões de pessoas não têm o que comer, e 116 milhões que sentem algum problema de insegurança alimentar. Como se explica? Um país que é o maior produtor de proteína animal do mundo e vemos na fila do açougue uma mulher pegando osso para fazer uma sopa para comer de noite”, disse Lula, em tom de revolta.

Petrobras será do povo novamente

Lula afirmou que, se for eleito, irá recuperar o patrimônio nacional, construído com o suor do povo brasileiro, atualmente dilapidado por fantoches do mercado financeiro. “A Petrobras vai voltar a ser do povo brasileiro. Não vamos privatizar os Correios, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, a Eletrobras, não vamos destruir o BNDES”, assegurou.

Lula condenou a estratégia do governo Bolsonaro de tentar culpar o conflito na Ucrânia para justificar o desastre econômico do país fruto do desmantelamento do Estado que tornou, por exemplo, o país dependente de fertilizantes externos. “Mentira. Fecharam fábrica de fertilizantes no Sergipe, no Paraná, deixaram de construir a fábrica de ureia em Três Lagoas, de amônio em Uberaba. Nunca se importaram em ser autossuficiente em fertilizantes”.

Legado

“O preço da gasolina tá caro porque tem guerra na Ucrânia? Não. O preço está caro porque essa gente que governa o país não presta, não tem compromisso com vocês”.

“Não será uma tarefa fácil, vamos enfrentar a máquina do Estado. Mas temos uma coisa que eles não têm, Requião, temos a verdade estampada nas coisas que fizemos no Paraná e no Brasil. Temos legado e história”, ressaltou Lula. “Eu duvido que houve no Paraná um governador que tenha cuidado do povo pobre como o companheiro Requião”.

Requião: trajetória vitoriosa

Gleisi Hoffmann lembrou da trajetória vitoriosa de Roberto Requião, sempre priorizando a população do Paraná, seja como prefeito, governador ou senador. “É um homem que marca não só a politica do Paraná, mas do Brasil, por sua coragem, determinação, força e caráter”, enfatizou a deputada. “É um homem sem medo, nos principais embates políticos que tivemos, ele estava do lado certo, do lado do povo, da democracia, da esquerda”.

“Temos de fazer um grande movimento, em defesa da democracia, da soberania, dos direitos do povo”, pontuou Gleisi. “Estamos aqui com você, para ganhar a eleição no Paraná, recuperar o estado ao povo e, junto com Lula, ganhar a eleição no Brasil”

Depoimentos

Durante a festa, foram exibidos depoimentos do senador Humberto Costa (PE), da governadora Fátima Bezerra (RN) e dos deputados federais do PT Reginaldo Lopes (MG), Patrus Ananias, Paulo Teixeira (SP) e Marco Maia, além das falas ao vivo de Zeca Dirceu (SP) e Enio Verri (PR) e Rogério Carvalho (SE).

“Quero lhe dizer da minha alegria, da minha felicidade de, enfim, podermos concretizar um sonho que tínhamos há muito tempo, de trazê-lo para as fileiras do PT, pela sua força política, coragem, compromisso com o Brasil, especialmente com o povo mais pobre do nosso país”, celebrou  Humberto Costa. “Sua filiação, amigo, sem dúvida nenhuma dignifica o nosso partido, por toda a sua trajetória, de uma vida inteira dedicada à defesa irrenunciável da democracia, da soberania, e da justiça social”, afirmou Fátima Bezerra.

“É hora de a gente devolver aos brasileiros esse sentimento maior que une a todos para trazer de volta essa nação respeitada no mundo inteiro, com Lula presidente”, discursou o senador Rogério Carvalho. “E o Paraná vai reescrever sua história como a República de Requião, não a da perseguição”. “A decisão de Requião de se filiar ao PT e se lançar governador é um exemplo para a juventude que está aqui”, observou o senador Jaques Wagner (BA).

“É com enorme alegria que a nossa bancada do PT aqui na Câmara dos Deputados recebeu a notícia de sua filiação junto ao partido. Nós estivemos juntos em todas as lutas a favor do povo e denunciando o desmonte do Estado, como também da nossa soberania. Vamos juntos reconstruir o Brasil”, Reginaldo disse Lopes.

Patrus Ananias lembrou dos tempos de convivência com Requião quando foi ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Lula. “Quero externar minha grande alegria, como militante histórico do PT, em termos uma pessoa que dignifica a vida pública”, festejou deputado.

“Você sempre foi um político de enorme estatura, uma pessoa que nunca se vergou ao poder econômico, que fez política sempre trabalhando na esfera para a realização de direitos, sempre foi um ícone da política nacional”, declarou Paulo Teixeira. “Vou com Lula e Requião para fazer um Brasil melhor, um Paraná de todos e uma sociedade brasileira mais justa e mais igual”, observou Marco Maia.

“Estamos vivendo um momento histórico para a política do Paraná, para o PT e para o Brasil”, afirmou o deputado federal Zeca Dirceu (SP). “A filiação do Requião coloca o Lula em uma condição ainda maior de consolidar o primeiro lugar alcançado no Paraná”, concluiu. “O que vivemos hoje, em nossa conjuntura, exige a volta de Lula presidente e Requião governador”, concordou Verri.

Fonte: PT

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile