Categorias
Cidadania Cultura Direitos Humanos Educação

Reeducação

Impossível não expressar indignação diante das ações nefastas do desgoverno atual no que diz respeito à educação. Tentar desmontar as universidades federais é um crime contra a humanidade. Mais um dos que já coleciona a sombra que se abateu sobre o Brasil.

A universidade pública, estatal, gratuita, aberta e de excelente qualidade é um dever que a cidadania em pleno têm a obrigação de preservar. É enojante que existam governantes voltados para destruir o próprio povo, o próprio país.

A educação é a base de uma existência social igualitária, respeitosa, includente. É um espaço de construção de identidades que formam o quadro cidadão sobre o qual se edifica um país.

A história mostra que estes atentados contra o que de mais sagrado que existe no país, a sua própria população, apenas pode ser detido e revertido mediante a ação enérgica, sustentada e persistente do conjunto da população.

A mídia venal também é culpada por mais este crime. Elites vivem da deseducação. A humanidade, de livros, reflexão pesquisa, arte e cultura. É preciso dizer que não basta deter a tentativa de privatizar as universidades federais.

É necessário que as universidades como um todo, construam um projeto que ultrapasse a própria sobrevivência. Um projeto de país. Um projeto de educação libertadora. Desalienar. Conscientizar. Construir comunidade. Menos redes sociais, mais sociabilidade. Mais cara a cara. Mais toque e abraço, mais afeto, mais amor. Mais criatividade, menos consumismo. Mais respeito, menos ódio.

Por Rolando Lazarte

Doutor em sociologia (Universidade de São Paulo). Mestre em sociologia (IUPERJ). Licenciado em sociologia (Universidad Nacional de Cuyo, Mendoza, Argentina). Terapeuta Comunitário. Escritor. Professor aposentado da UFPB. Membro do MISC-PB Movimento Integrado de Saúde Comunitária da Paraíba. Vários dos meus livros estão disponíveis on line gratuitamente: https://consciencia.net/mis-libros-on-line-meus-livros/

Uma resposta em “Reeducação”

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile