Protesto cobra punição de policiais que mataram crianças

No dia 24 de julho, às 15h30, a população do Morro do Estado, em Niterói, se concentrará em frente ao Fórum da cidade para exigir que os policiais que executaram cinco pessoas da favela sejam punidos…

No dia 24 de julho, às 15h30, a população do Morro do Estado, em Niterói, se concentrará em frente ao Fórum da cidade para exigir que os policiais que executaram cinco pessoas da favela sejam punidos. O julgamento dos militares está marcado para o dia 28 de julho. O crime foi em dezembro de 2005, quando policiais do 12º BPM, então sob o comando do Coronel Marcus Jardim, subiram o Morro e disparam contra as cinco pessoas – quatro menores de idade, Wellington Santiago de Oliveira (11), Luciano Rocha Tavares (12), Edimilson dos Santos Conceição (15), José Maicom dos Santos Fragoso (16) e um jovem com 24 anos, Wedsom da Conceição.
Na ocasião, os policiais alegaram troca de tiros com traficantes, entretanto, o laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) comprovou que os jovens foram mortos com disparos à curta distância, o que configura indícios de execução. Além disso, foram constatadas marcas de tiros apenas nas imediações onde se posicionavam as vítimas, o que põe em cheque a versão dos militares.
Apesar de ter gerado comoção na época, inclusive com a visita da Comissão de Direitos Humanos da Alerj ao Morro, o julgamento será realizado mais de três anos depois dos assassinatos.
Familiares dos jovens estarão presentes na manifestação que tem o nome “Ato contra a violência e pelo respeito à vida”. A iniciativa está sendo organizada pela Associação de Moradores do Morro do Estado (AMME), Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo), DCE-UFF, Pré-Vestibular Popular do Morro do Estado, Movimento Ecumênico e Inter-Religioso de Niterói e Grupo Fé e Cidadania-Santuário das Almas.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile