Categorias
Cultura

Poucas e boas, resenha

Samantha Morton teve grande atuação em Poucas e Boas (EUA, 1999). Imagem: img.photobucket.com
Samantha Morton teve grande atuação em "Poucas e Boas" (EUA, 1999). Imagem: img.photobucket.com
Este é um dos maiores artistas do século XX, para quem não conhece: Emmett Ray. Woody Allen fez um filme sobre o compositor, “Sweet & Lowdown”, em português com o título “Poucas e Boas”. Uma obra prima, em que Sean Penn interpreta Emmet. Com Samantha Morton (representa a tímida Hattie, o que gerou indicação ao Oscar) e Uma Thurman (representa a ambiciosa Blanche Williams). Hattie se destacou ainda mais por ser muda, o que torna seu papel complicadíssimo.

O trailer abaixo está em baixa qualidade, mas vale dar uma olhada:

Você pode ouvir outras músicas clicando aqui.

Woody Allen, além de um grande fã de música (de jazz, na verdade, uma de suas cinco paixões), se interessou por este artista dos anos 1930 por conta de sua excentricidade e “por ser um ótimo personagem”. Chama a atenção hábitos como ouvir o barulho de um trem em movimento e atirar em ratos no depósito de lixo.

Woody Allen acertou ao convidar Sean Penn para interpretar Emmet Ray
A sensibilidade do autor parava na música. Era um homem muito duro, na relação com as mulheres, e bastante egocêntrico. Além de mulherengo, gastava todo o seu dinheiro com roupas e carros exuberantes. Também são notáveis as estórias que ele costumava inventar, segundo Allen, gerando algumas das melhores cenas do filme.

Se classificava como o melhor guitarrista de todos os tempos, depois do lendário Django Reinhardt (de quem tinha pavor). Nas poucas vezes que se encontraram, Emmet desmaiou. Django foi interpretado por Michael Sprague e aparece pouco.

Abaixo um trecho do filme:

Outros trechos:

Ah, importante: ao que consta, Emmet Ray era um personagem fictício. 😉

Por Gustavo Barreto

Jornalista, 39, com mestrado (2011) e doutorado (2015) em Comunicação e Cultura pela UFRJ. É autor de três livros: o primeiro sobre cidadania, direitos humanos e internet, e os dois demais sobre a história da imigração na imprensa brasileira (todos disponíveis clicando aqui). Atualmente é estudante de Psicologia. Acesse o currículo lattes clicando aqui. Acesse também pelo Facebook (fb.com/gustavo.barreto.rio) e Twitter (@gustavobarreto_).

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile