Categorias
Brasil Cidadania

Por que o PT?

mundoHoje de manhã pensei que poderia dizer a minha opinião sobre algumas coisas da política nacional. Não desde um ponto de vista ou com uma perspectiva intelectual, mas, sim, apenas desde um ponto de vista cidadão. De um ponto de vista de pessoa humana. A política não é nem deveria ser apenas assunto dos políticos profissionais. Aliás, seria muito bom que muitas pessoas que não são políticos profissionais, se interessassem pela política e agissem politicamente.
Quando falo em política, não estou falando de partidos. Existe a política partidária, sim, mas existe também a política cotidiana. E é desta política cotidiana que gostaria de falar, sobre tudo, embora as políticas tendam a se imbricar umas nas outras. Não sou partidista nem partidário, mas tenho votado pelo PT nestas eleições, bem como nas anteriores.
Por que o PT? Por causa da inclusão social, uma bandeira que me é muito cara. Detesto a exclusão social. E quando escuto muita propaganda atacando o PT no poder por corrupto, penso: quem é que está acusando? O poder corrompe, isto é bem sabido. Mas a corrupção do PT ou no PT foi julgada e punida. Os corruptos estão no xadrez. E a corrupção do PSDB? E a corrupção do PMDB? Não teve? Gente, vamos fazer memória, vamos olhar para a história. Os escândalos do governo FHC foram denunciados, mas não houve julgamento nem punição.
Mas não quero me deter nestes aspectos de julgamento e punição da corrupção, e, sim, no suposto apoliticismo de quem atira pedras contra o PT. É gente que não apenas ignora a história, inclusive a história recente do Brasil, mas também são os famigerados idiotas úteis. Aqueles e aquelas que naturalizavam a exclusão social, porque os favorecia. Quanta mais gente fora da divisão do bolo, mas o medíocre se sentia bem. Agora o bolo está sendo partilhado por muitos mais. Isto eles não aguentam. Pobre na universidade, um escândalo (embora não se atrevam a dizer isto). Pobre viajando de avião, um horror. Pobres nas praias, pobres por toda parte, um absurdo. Pobre deixando de ser pobre e virando gente como a gente. Isto sim é que não dá.
Não estou fazendo a apologia das gestões governamentais do PT, mas o Brasil da exclusão e da oligarquia está ficando para trás. Sei que há muito a fazer para que seja de fato um país de todos e para todos, mas muito já melhorou. E poderá melhorar. Se o analfabeto político tiver a chance de olhar além do seu próprio umbigo, e olhar em volta, vendo as outras pessoas.
É necessário arregaçar as mangas e fazer a parte que nos cabe. Cada um, cada uma, pôr o seu conhecimento e o seu esforço para que melhore o trato entre as pessoas, para que haja mais respeito para com os idosos e mais atenção aos jovens e às crianças. Para que as mulheres deixem de ser usadas como objeto e sejam respeitadas. Para que não haja mais extermínio de jovens negros e pobres, nem fome, nem violência, nem abuso de poder nunca mais. Nunca mais!

Por Rolando Lazarte

Escritor. Sociólogo. Terapeuta Comunitário formador. Membro do MISC-PB Movimento Integrado de Saúde Comunitária da Paraíba. Professor aposentado da UFPB. Vários dos meus livros estão disponíveis on line gratuitamente: https://consciencia.net/mis-libros-on-line-meus-livros/

Ver arquivo

Deixe uma resposta