Papa Francisco nos exorta a viver no amor

imagesMensagem do “Ângelus”, DIA 22/05/2016

Caros irmãos e irmãs, bom dia!

Hoje, festa da Santíssima Trindade, o Evangelho de João nos apresenta uma passagem com um longo discurso de despedida, pronunciado por Jesus, pouco antes de Sua Paixão. Nesse discurso, Ele explica aos Seus discípulos as verdades mais profundas concernentes a Ele, e assim fica definida a relação entre Jesus, o Pai e o Espírito. Jesus sabe que está próxima a realização do desígnio do Pai, que se cumpriria com Sua morte e ressurreição. Por isso, Cristo quer assegurar aos Seus que não os abandonará, pois Sua missão será prolongada pelo Espírito Santo. É o Espírito quem vai prolongar a missão de Jesus, isto é, de levar adiante a Igreja.

Jeus revela em que consiste esta missão. Antes de tudo, o Espírito nos ensina a compreender muitas coisas que o próprio Jesus ainda tem a nos dizer. Não se trata de doutrinas novas ou especiais, mas de ajudar-nos a compreender mais plenamente tudo o que o Filho ouviu do Pai e fez conhecer aos discípulos. O Espírito nos orienta diante, com um olhar voltado para Jesus, e, ao mesmo tempo, aberto aos futuros acontecimentos. Das novas situações existenciais. Ele nos convida a caminhar pela história firmemente radicados no Evangelho e também com dinâmica fidelidade às nossas tradições e costumes.

Mas, o mistério da Trindade fala-nos também de nós, de nossa relação com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. De fato, por meio do nosso Batismo, o Espírito Santo se acha inserido na vida e no coração de Deus, que é comunhão de Amor. Deus é uma família de três pessoas que se amam, ao ponto de formarem uma só coisa. Esta família divina não está fechada em si mesma, mas é aberta e se comunica na Criação e na história, tendo dado entrada na vida humana, para chamar todos a dela fazer parte. O horizonte trinitário de comunhão a todos nos envolve, e nos estimula a viver no amor e na partilha fraterna, certos de que onde estiver o Amor, aí Deus está.

O fato de termos sido criados à imagem e semelhança de Deus nos chama a compreender a nós mesmos como seres de relação e a viver relações interpessoais, na solidariedade e no amor convivial. Tais relações se dão sobretudo no âmbito de nossas comunidades eclesiais, para que seja cada vez mais mais viva a imagem da Igreja, ícone da Trindade. Mas, dão-se em todas as demais relações sociais: na família, nas relações de amizade, no ambiente de trabalho… em todas. Trata-se de ocasiões concretas que nos são oferecidas, para construirmos relações cada vez mais humanamente ricas, portadoras de respeito recíproco e de amor desinteressado.

A festa da Santíssima Trindade convida-nos a nos esforçarmos para nos tornarmos laços de consolação e de misericórdia. Nesta missão, somos amparados pela força que o Espírito Santo nos dá, curando as feridas humanas da injustiça, da exploração, do ódio

Que a Virgem Maria, que acolhendo a vontade do Pai, concebeu pelo Espírito Santo, que ela, espelho da Trindade, nos ajude a reforçar nossa fé no mistério trinitário, e a encarná-la com escolhas e atitudes de amor e unidade.

https://www.youtube.com/watch?v=CjfwlKYAyj8
(Do minuto _0:54 ao minuto 06:18)

Trad.: Alder Júlio Ferreira Calado

Deixe uma resposta Cancelar resposta