Categorias
Direitos Humanos Mídia Meio ambiente

No Brasil, a barbárie avança mais. Desgoverno delinque, dia a dia

Amazônia, em luto, chora vítimas

Povo em luta ressurge Bruno e Dom

 

Bruno e Dom já se somam a tantas vítimas

A Maria, Maxciel e outro tantos

 

Que o Povo em massa ganhe as ruas

Pois remédio não traz, quem dá veneno

 

Índios foram os primeiros a encontrar

Os primeiros vestígios de Bruno e Dom

 

Muitas furos melaram a coletiva:

Inclusive, ausentaram a UNIVAJA

 

Amarildo e Dos Santos, seu irmão

Formam parte menor da trama atroz

 

Os autores do crime, conhecidos

Os mandantes, porém, cumpre indicar!

 

Ocidente repercute o crime horrendo:

Dando a Bruno um lugar bem secundário

 

Seu olhar faz de Dom o único ator

Desprezando o papel que Bruno tem

 

A Assange e Delgatti seja o louvor:

Expuseram as vísceras do sistema

 

Cabe às Forças Armadas defender

O País de invasões dos inimigos

 

Militares, ausentes nas fronteiras

Se imiscuem no trato eleitoral

 

Desgoverno é um peixe de mentiras

Deixa atrás, truculência, devastação

 

A barbárie não é a última palavra:

A Esperança refuge na escuridão

 

Transformar massa em povo, povo em classe:

Condição pra fazer um mundo novo

 

Povo pobre, em Colômbia, vence Pleito

Vez primeira, eleição a Esquerda ganha

 

Tanto Petro quanto Márquez têm perfil

De pelejas ao lado dos oprimidos

 

Jornalista qual pena de aluguel

É o que a mídia burguesa mais contrata

 

Que as Forças Armadas não se metam

A turvar o Processo eleitoral

 

Que assumam as funções que lhes são próprias

As fronteiras reclamam sua presença

 

Que respeitem o Congresso e a Justiça

Para isto são pagas pelo Povo

 

General Figueiredo era franco:

Só com armas, Ditadura não resiste

 

Como pode a PF declarar

Que as mortes (Bruno e Dom) não têm mandante?

 

Traço forte da vitória, na Colômbia

É o perfil exemplar de Francia Márquez

 

A assédio indecente dos patrões

Jornalistas se vendem sem pudor

 

CNN, Record, SBT

Só expressam a visão de quem lhes paga

 

Asquerosa, a conduta usual

De quem vive refém de seus patrões

 

A imprensa burguesa reverbera

Interesses restritos do Capital

 

Compromisso não tem com a verdade

Para tanto, ela, é paga regiamente

 

Mas, se a gente se entrega à Formação

Consciência de classe brotará

 

E tal como em “Operário em Construção”

Fake-news não terá qualquer efeito

 

Contumaz mentiroso, o Desgoverno

De qualquer estratégia ele se vale

 

Eis por que nos incumbe acompanhar

Os canais de análise alternativa

 

WikiLeaks escancara a hipocrisia

Do Império a fingir “pai” dos direitos

 

Documentos vazados sobre o Império

Vão a fundo na lista de seus crimes

 

Ex Ministro Ribeiro, da Educação

Corrompido, é preso, com Pastores

 

Incessante é a lista de delitos

Desgoverno fingindo o inocente

 

A dois meses do assassínio de Bruno e Dom

UNIJAVA à FUNAI pede socorro

 

Maioria elegeu quem não devia

Hoje, todos pagam caro pela asneira

 

Aprendamos, porém, com nossos erros

Mediante informes fidedignos

 

Os estragos profundos cometidos

Tomam tempo para serem superados

 

Gabinetes ocultos do Desgoverno

Têm presença em dois dos Ministérios

 

Na saúde, também Educação

É o mesmo seu “modus operandi”…

 

Orçamento secreto é ultrajante

Ante a fome de trinta e três milhões

 

Poucos dias trabalha o Legislativo

Na União, nos Estados e Municípios

 

São milhões – 33! – nossos famintos

Orçamento secreto é um assalto

 

João Pessoa, 23 de junho de 2022.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile