Categorias
Brasil

Nível do Rio Madeira continua subindo

Rio corta Porto Velho, em Rondônia. Atualmente, 2.041 famílias atingidas estão em 43 abrigos na capital e em outros distritos.

Por Andreia Verdélio, da Agência Brasil, com informações da redação

As águas do Rio Madeira atingiram níveis recordes. Foto: Sérgio Vale/Secom/Governo do Acre
As águas do Rio Madeira atingiram níveis recordes. Foto: Sérgio Vale/Secom/Governo do Acre

O nível do Rio Madeira, que corta Porto Velho, em Rondônia, continua subindo e nesta terça-feira (4) registrou 18,73 metros. Na última grande enchente na região, em 1997, o rio atingiu 17,52 metros.
Segundo o tenente-coronel Denargli da Costa Farias, do Corpo de Bombeiros de Rondônia, ainda há previsão de chuvas fortes na Bolívia, o que influencia diretamente o nível do rio. A Defesa Civil já está preparada caso seja preciso remover mais famílias de suas casas.
Atualmente, 2.041 famílias atingidas pela cheia do Rio Madeira estão em 43 abrigos de Porto Velho e em outros distritos. Em São Carlos e Nazaré, todas as famílias precisaram deixar suas casas.
A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil enviou para Rondônia 500 barracas com capacidade para até dez pessoas, que serão instaladas na região do médio e baixo Madeira, segundo o coronel Farias.
Ele explica que as equipes de socorro e assistência estão em trabalho constante, coordenando os abrigos, a distribuições de alimentos e verificando a situação e a segurança das casas alagadas.
“Eles [os desabrigados] também querem saber como estão suas casas, suas propriedades, mas temos que manter uma disciplina dentro do abrigo e cada vez mais melhorar a assistência para que as famílias não saiam da rotina”, disse o coronel.
O Navio de Assistência Hospitalar Oswaldo Cruz, da Marinha do Brasil, está ancorado em Porto Velho para dar suporte aos atendimentos médicos e odontológicos e para a aplicação de vacinas.
São três médicos, três dentistas, um farmacêutico e seis enfermeiros a bordo, além de uma tripulação formada por oito oficiais e 43 praças que estão recebendo os casos encaminhados pela Secretaria Municipal de Saúde.
O governo do Acre também trabalha para que o estado não sofra com o desabastecimento. Na BR-364, que liga Rondônia ao Acre, veículos grandes ainda conseguem trafegar.
A rodovia está sendo monitorada constantemente pela Polícia Rodoviária Federal e pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e chegou a ser interditada na última quinta-feira (27).
Segundo o coronel Farias, está sendo feita uma operação para que a balsa chegue mais perto das áreas não alagadas. Quatro caminhões do Exército, com a suspensão mais elevada, também fazem o transporte de produtos para o Acre.
Segundo o governo do estado, o Rio Acre está em vazante, mas nenhuma operação de retorno das famílias às suas casas está prevista no momento. Atualmente, o Parque de Exposições de Rio Branco (AC) abriga 1.290 pessoas.
No último dia 27 de fevereiro, o governo do Estado do Acre publicou na edição do Diário Oficial o decreto n° 7.093, que trata da situação de emergência decretada pelo governador Tião Viana.
A Defesa Civil Nacional, órgão pertencente ao Ministério da Integração, já havia sinalizado positivamente à aceitação do decreto, que permite ao governo do Acre a tomada de decisões em caráter extraordinário.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile