Categorias
Cidadania LGBTI

Movimentos populares criam programa Brasil de Todas as Cores por direitos da população LGBTQIA+

Por Nara Lacerda

Documento elaborado por mais de 20 organizações tem objetivo de auxiliar na construção de políticas públicas

Reunidos no Encontro do Conselho Nacional Popular LGBTI+, 26 movimentos populares lançaram nesta segunda-feira (16) o Programa Brasil de Todas as Cores. A divulgação ocorreu na véspera do Dia Mundial de Luta Contra a LGBTQIA+fobia, 17 de maio.

O documento reúne um diagnóstico de pautas relativas aos direitos dessa população e aponta perspectivas para o fortalecimento de garantias. Longe de ser focado apenas em pautas unicamente ligadas aos grupos LGBTQIA+, traz uma perspectiva social ampla e trata de temas como trabalho, meio ambiente, segurança, economia, saúde e mais.

“Não somos só o campo do gênero e da sexualidade. Nós somos seres-humanos que demandam educação, saúde e tantas outras pautas de maneira integral. Queríamos firmar isso. Dizer e deixar nítido de qual lugar estamos falando”, ressalta, Symmy Larrat, presidenTRA (sic) da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Travestis e Transexuais (ABGLT).

Dividido em quatro eixos, o Programa Brasil de Todas as Cores trata de Interseccionalidades, da Política Nacional LGBTQIA+, Áreas Temáticas e do Legislativo. São bases que abrem espaço para o debate sobre direitos básicos, acesso à educação, proteção e fortalecimento da ciência e da pesquisa, entre outros.

O documento vai além e expõe a necessidade de criação de estruturas, ações e normas para enfrentamento à violência contra a população LGBTQIA+. Mais de 70 diretrizes foram elaboradas para nortear a construção de políticas.

Symmy Larrat relata o esgotamento de um modelo em que não há nitidez sobre as pautas desses grupos para a população em geral, mesmo entre a parcela que quer se comprometer com  o tema.

“Queríamos sinalizar esse conteúdo para que houvesse condições, inclusive para quem é parceiro desse pauta, de saber por onde caminha a nossa posição política, por onde caminham as nossas demandas.”

Segundo ela, a ideia é orientar não só o campo popular, mas também o poder público e outros entes sociais.

“Que seja o início de um debate coletivo, que não termine, mas que oriente toda a nossa ação de luta. Que oriente as nossas bases, mas também o conjunto da companheirada que vai assumir tarefas executivas, legislativas, judiciárias e tantas outras que são importantes para a construção da democracia.”

Encontro

O Programa Brasil de Todas as Cores foi lançado no segundo dia do Encontro do Conselho Popular LGBTI+. Centenas de pessoas participam do evento, que começou no domingo (15) e termina nesta terça-feira (17), na cidade de São Paulo.

A unidade na luta contra o conservadorismo foi tem predominante, com reforço para a importância das eleições no combate ao bolsonarismo. Representante do Conselho, Leo Ribas, afirma que a organização representa a resistência e a urgência de mudanças.

“O conselho é o resultado da união de pessoas, de organizações, de coletivos […] para que possamos conseguir trabalhar numa perspectiva interseccional. Para que possamos pautar todas as mazelas e opressões que vivemos”, destaca Ribas.

No encerramento do encontro, será realizado o ato cultural 17M: Bolsonaro Nunca Mais. A programação também prevê uma audiência pública sobre o  Dia Mundial de Luta Contra a LGBTQIA+fobia.

Edição: Rodrigo Durão Coelho

Fonte: Brasil de Fato

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile