Categorias
Rio de Janeiro

Mãe de Marielle é hostilizada junto com jovens na Baixada Fluminense

“Se quebrando a placa de Marielle serviu como plataforma para eleger deputados bolsonaristas, nosso medo que a Dona Marinete sofresse alguma agressão com a mesma finalidade”, disse Adriano Dias, da ComCausa.

Mãe de Marielle é hostilizada junto com jovens na Baixada Fluminense. Foto: ComCausa

Neste último fim de semana, integrantes da Pastoral da Juventude da Diocese de Nova Iguaçu, junto com a ONG ComCausa e o grupo de amigos e amigas da Ivone Gebara, programaram um ato na Praça dos Direitos Humanos de Nova Iguaçu com a mãe de Marielle Franco.

Pouco antes do início do horário marcado para a atividade, um grupo de pessoas com camisas com imagem de Bolsonaro subiram com carros sobre a calçada e se colocaram no mesmo local onde os jovens estavam concentrados. Ao perceber a tentativa de provocação, os integrantes da Pastoral da Juventude levaram Dona Marisete para o outro ponto da praça.

Assim que perceberam o início das orações, os bolsonaristas começaram a colocar som alto com músicas ofensivas contra mulheres e a fazer xingamentos pelo microfone. Além disso, alguns dos participantes ficaram circulando em torno do grupo de jovens da Pastoral da Juventude da Diocese de Nova Iguaçu, que estava com D. Marinete.

Para que se evitasse qualquer tipo de violência, integrantes da ComCausa entraram em contato com o comando do 20º BPM de Mesquita, que enviou duas viaturas para o local.

“Se quebrando a placa de Marielle serviu como plataforma para eleger deputados bolsonaristas, nosso medo que a Dona Marinete sofresse alguma agressão com a mesma finalidade”, disse Adriano Dias, da ComCausa. “Foi um circo de horrores: carros nas calçadas, som alto, xingamentos contra mulheres, inclusive feito por mulheres! Gente se fazendo de ameaçadora como se estivessem gravando ou passando informações pelo telefone, apontando para o grupo.”

O grupo de apoiadores de Bolsonaro só se dispersou após perceberem o fim das orações.

3 respostas em “Mãe de Marielle é hostilizada junto com jovens na Baixada Fluminense”

É de suma importância destacar o poder das atitudes em defesa das mulheres aqui focalizada. Não se pode nem se deve, em hipótese alguma e em nehuma circunstância, permitir que este tipo de agressões, ou outras, sejam minimizadas por quem quer que seja. A defesa da vida e da possibilidade de que possamos existir em sociedade, depende do quanto sejamos capazes de manter o nosso lugar. A existência social é plural, diversa. Essa diversidade deve ser garantizada em todos os espaços, sob risco de legitimarmos, por omissão ou ignorância, atos lesivos à integridade humana. Regimes totalitários e, em geral, sociedades em vias de decomposição, ao contrário, se baseiam na indiferência e na tolerância diante do intolerável. Nos dias de hoje temos que manter atitudes claras e firmes em todos os âmbitos da existência. Disso depende a nossa sobrevivência!

Bolsonaro deu voz e vez a um bando de misóginos, preconceituosos, fascistas, nazistas e milicianos que estavam semiadormecidos nos porões do barbarismo. É urgente que o tiremos do poder.

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile