Categorias
Opinião

Haiti: recuperação lenta

Trabalhadores do UNICEF visitam sobreviventes do terremoto no Haiti em "Place Boyer", um parque público no distrito de Pétionville, em Porto Príncipe. O objetivo é avaliar o número de crianças que precisam de assistência imediata. / Foto: UNICEF

Membros de 15 nações e representantes das Nações Unidas estão reunidos em Montreal, no Canadá, para discutir a reconstrução a longo prazo do Haiti, após o terremoto do começo deste ano, que praticamente destruiu toda a infraestrutura do país.

Membros do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) falam no disastre duplo – o terremoto e, principalmente, a pobreza extrema verificada neste país – como principais desafios para a reconstrução. “As crianças são a prioridade do UNICEF na região do terremoto. Elas precisam ser achadas, alimentadas, mantidas vivas e em segurança”, disse um comunicado desta organização.

A distribuição de água potável é uma das ações principais. São 115 pontos de distribuição na capital, Porto Príncipe, atingindo aproximadamente 200 mil pessoas. A Organização Mundial de Saúde (OMS) também está ajudando na assistência nutricional, em Porto Príncipe, com 18 tendas “Amigas do Bebê”, onde mães e cuidadores recebem aconselhamentos sobre práticas nutricionais e medidas preventivas.

Também foi iniciada, no começo de fevereiro, uma campanha conjunta do Ministério da Saúde brasileiro, do UNICEF e da OMS de vacinação em massa contra o sarampo, a difteria e o tétano. O objetivo é imunizar 500 mil crianças com menos de 7 anos de idade. Estima-se que 60 mil pessoas já foram vacinadas.

Mais informações sobre como ajudar na recuperação do Haiti pelo telefone 0800 601 8407 ou pelo site www.unicef.org.br. Saiba mais informações aqui, em inglês.

Por Gustavo Barreto

Jornalista, 39, com mestrado (2011) e doutorado (2015) em Comunicação e Cultura pela UFRJ. É autor de três livros: o primeiro sobre cidadania, direitos humanos e internet, e os dois demais sobre a história da imigração na imprensa brasileira (todos disponíveis clicando aqui). Atualmente é estudante de Psicologia. Acesse o currículo lattes clicando aqui. Acesse também pelo Facebook (fb.com/gustavo.barreto.rio) e Twitter (@gustavobarreto_).

Deixe uma resposta Cancelar resposta

Sair da versão mobile