EUA retornam para a OMS e António Guterres pede solidariedade global

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, saudou o anúncio do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de retornar para a Organização Mundial de Saúde (OMS) e atuar integralmente no avanço de saúde global e segurança sanitária.

Em um comunicado emitido pelo seu porta-voz, o chefe da ONU disse que o apoio para a agência de saúde da ONU é “absolutamente crucial” para os esforços mundiais para uma melhor resposta coordenada contra a COVID-19.

O chefe da ONU também pediu solidariedade global para combater o coronavírus. “É tempo para união e para a comunidade internacional trabalhar junto em solidariedade a fim de parar este vírus e suas consequências devastadoras”, afirmou.

Num dos primeiros atos como novo presidente dos EUA, Biden assinou uma ordem executiva para cancelar a saída do país da OMS, revertendo uma decisão de julho de 2020 do ex-presidente Donald Trump. A decisão de Trump teria efeito a partir de julho, já que retirada formal exige aviso com um ano de antecedência.

Trump também havia suspendido o financiamento da OMS em abril do ano passado, trazendo preocupação global sobre a capacidade da agência da ONU em responder efetivamente à pandemia de coronavírus. Os EUA são os maiores doadores da agência, contribuindo com quase 893 milhões de dólares para seus programas em 2018-2019.

A nova administração também anunciou a participação dos EUA no COVAX Facility, o esforço global co-liderado pela OMS que objetiva dar aos países de baixa renda vacinas contra a COVID-19.

Guterres saudou a iniciativa, lembrando que “as vacinas são uma ferramenta crítica na batalha contra a COVID-19 e os Estados Unidos aderindo e apoiando o COVAX Facility dará um grande impulso aos esforços para garantir o acesso igualitário de todos os países a vacinas”.

O Acelerador de Acesso a Ferramentas para COVID-19 (ACT-Accelerator) é um mecanismo global que objetiva garantir acesso igualitário a todos, independente da capacidade de pagar.

O porta-voz do presidente dos EUA também comunicou que o perito em doenças infecciosas Anthony Fauci lidera a delegação do país na reunião em curso do Comitê Executivo da OMS, participando remotamente.

A administração Biden anunciou ainda uma série de ações para combater o coronavírus, incluindo a exigência de uso de máscaras faciais em todos os prédios federais e em certos meios de transporte público.

Fonte: Nações Unidas – Brasil

(21-01-2021)

Deixe uma resposta