Categorias
Cultura Educação Mundo

Em tempos de confinamento, UNESCO celebra importância da leitura para expandir horizontes

“Em um período de incerteza global e confinamento, os livros abrem as portas para a liberdade, transportando os leitores para além do tempo e das fronteiras”, afirmou a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, nesta sexta-feira (23), quando se celebra o Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais.

Durante o último ano, quando a maioria dos países atravessou períodos de confinamento e as pessoas precisaram limitar o tempo que passam fora de casa, os livros provaram ser ferramentas poderosas para combater o isolamento, reforçar os laços entre as pessoas, expandir nossos horizontes, ao mesmo tempo em que estimulam nossa mente e nossa criatividade. Em alguns países, o número de livros lidos dobrou.

No Dia, que relembra a morte dos escritores William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Inca Garcilaso de la Vega, Azoulay encorajou a todos “a pegar um livro, começar a virar suas páginas e tirar dele um sopro de ar fresco, que ajudará a sustentá-lo agora e no futuro”.

No mês de abril e durante todo o ano, é fundamental reservar um tempo para ler sozinho ou com os filhos. É um momento para celebrar a importância da leitura, fomentar o crescimento das crianças como leitores, assim como promover o amor pela literatura ao longo da vida e a integração no mundo do trabalho.

Uma refugiada Rohingya de quatorze anos mostra seu livro de poesia favorito em um campo de refugiados em Cox’s Bazaar, Bangladesh.

A diretora-geral da UNESCO enfatizou que o poder dos livros deve ser totalmente aproveitado. “Devemos garantir seu acesso para que todos possam se refugiar na leitura e, assim, sonhar, aprender e refletir”, disse. “Eles são um meio de explorar domínios além de nossa experiência pessoal por meio da exposição a diferentes autores, ideias e culturas”, completou, reforçando seu papel na educação e no entretenimento.

“Os livros são um meio de acessar os lugares mais profundos de nossas mentes. Página por página, os livros iluminam um caminho para percorrermos, sem limites pelo tempo ou pelas fronteiras. Em outras palavras, os livros nos dão liberdade”,

Audrey Azoulay, diretora-geral da UNESCO

O Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais é também uma homenagem a todos que trabalham no mercado editorial, como autores, editores, tradutores e livreiros.

Fonte: Nações Unidas – Brasil

(23-04-2021)

Deixe uma resposta