Categorias
Cultura

E se Vinícius de Moraes estivesse vivo hoje?

Vinícius de Moraes foi o homem que mais compôs letras de amores sem cair na pieguice e melodrama. Foi o homem apaixonado sem ter vergonha de ser.



Essa pergunta foi feita pela Regina Casé em seu programa Esquenta (Rede Globo). Ela faz sentido? Sim. Para quem conheceu o poeta, seja pessoalmente ou sua obra, certamente não seria surpresa ver o nosso poeta gostando de Funk, Rap, a arte dos grafites ou algo do gênero.
Mesmo sendo um poeta respeitado, Vinícius de Moraes era popular entre os brasileiros desde os mais cultos aos simples. Como compositor fez parcerias que nos deixaram frutos na nossa Música popular. Quem não se lembra das suas parcerias com Pixiguinha, o deus negro, adjetivo feito pelo poeta? Dentre outras belas parcerias, como de Adoniran Barbosa e Baden Powell.

Vinícius de Moraes era poeta e compositor contemporâneo, à frente de seu tempo e deve ser por isso que sua obra nunca morrerá. Com certeza muitas gerações saberão que além do artista havia um homem preocupado com a vida social do Brasil. O morro que o diga, vale lembrar a música O morro não tem vez, que é um retrato fiel dessa desigualdade entre o asfalto e os morros do Brasil.
Ele falava disso no começo dos anos 50, quando o número de favelas não era tão grande como hoje. Ouvindo e refletindo sobre a letra de mais de sessenta anos, a situação mudou para pior. Se ele visse como o povo continua sendo maltrato pelas polícias e UPP’s da vida….

Acredito eu que, caso estivesse vivo, o poetinha, como era chamado, com certeza convidaria essa nova geração de compositores, em especial os funkeiros. Colocaria um pouco de cadência e deixaria o seu coração negro cheio de amor registrado nesse gênero tão diverso como é o funk. Não duvidaria que os puritanos torcessem o nariz com uma possível parceria.
Vinícius de Moraes fez jus à sua fama. Em minha opinião, foi o homem que mais compôs letras de amores sem cair na pieguice e melodrama. Foi o homem apaixonado sem ter vergonha de ser. Quem dera que o mundo tivesse muitos homens e mulheres apaixonados, acredito que estaríamos num clima de O AMOR EM PAZ.

Deixe uma resposta